PMEs estão cada vez mais exigentes

PMEs estão cada vez mais exigentes

Levantamento com 1.500 PMEs revela as melhores em cada setor, de bancos a centros de formação. Estudo mostra ainda os critérios valorizados pelos empreendedores para escolher as companhias com que trabalham

Redação, O Estado de São Paulo

29 de agosto de 2019 | 19h48

Pequenos e médios empresários estão cada vez mais exigentes com as escolhas de seus fornecedores e dispostos a pagar para ter bons produtos e serviços. É o que revela a pesquisa Escolha PME 2019, realizada a pedido do Estado pelo Officina Sophia/HSR Specialist Researchers. Em seu quarto ano, o estudo indica que os donos de pequenas e médias empresas (PMEs) não se encaixam mais no antigo estereótipo de empreendedor.

Confira o especial multimídia com os vencedores do Escolha PME 2019

“Antes, se imaginava que o pequeno empresário era aquele cara que você encontrava no boteco, todo alquebrado”, explica Paulo Secches, diretor do instituto Officina Sophia. “Esse perfil mudou. Os pequenos e médios empresários são ex-executivos de empresas em busca de modernização. São pessoas que vão liderar esses processo de transformação da sociedade brasileira”, acrescenta Secches. 

Na avaliação do diretor da Officina Sophia, esse movimento faz os fornecedores terem dificuldade em oferecer o produto ou o serviço certo para esse segmento. “Enquanto os fornecedores pensam em preço, o cliente busca qualidade”, diz.

Neste ano, participaram 1.500 PMEs de todas as regiões do Brasil. Os responsáveis por contratar e/ou utilizar os serviços e os produtos dessas empresas foram entrevistados entre os dias 22 de abril e 31 de maio, por telefone e pela internet. Para medir o índice de satisfação, eles atribuíram notas de 0 a 10 a seus fornecedores – mas apenas as notas entre 8 e 10 foram consideradas e ponderadas para obter o índice de satisfação, que chega ao teto de 100 pontos. Nas próximas páginas, você confere os vencedores em cada uma das 27 categorias avaliadas.

Oferta não atende à demanda

Uma tendência registrada nas outras edições da pesquisa Escolha PME se cristalizou: os empreendedores estão menos satisfeitos com seus fornecedores. Em 2018, o índice médio de satisfação com as empresas foi de 69,5%. Neste ano, o mesmo indicador foi de 58,2%. Para Paulo Secches, há um descompasso entre o que PMEs querem e o que as empresas oferecem.

“Os fornecedores acham que o preço é o mais importante. Mas os pequenos e médios empresários fazem suas escolhas com base na qualidade”, afirma. Isso também abre espaço para novas empresas. A pesquisa ainda revela quais fornecedoras são “objeto de desejo”, ou seja, aquelas com as quais PMEs gostariam de trabalhar, independentemente de preço ou da disponibilidade. Os rankings não têm relação entre si. Uma fornecedora bem avaliada pelos clientes pode não aparecer como objeto de desejo e vice-versa.

Tudo o que sabemos sobre:
Escolha PME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.