Bruno Gerardi|Divulgação
Bruno Gerardi|Divulgação

Pizza para comer com as mãos para fazer a cabeça dos paulistanos

Com preço mais baixo e serviço rápido, nova pizzaria da Cia Tradicional do Comércio importou pizzaiolo de Nova York para desenvolver cardápio

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de julho de 2017 | 12h43

Pizza na hora do almoço ou na madrugada, servida de um jeito descontraído, para comer com as mãos mesmo. Essa é a proposta da Bráz Elettrica, novo empreendimento da Cia Tradicional de Comércio, inaugurada recentemente no bairro de Pinheiros, em São Paulo. O grupo, responsável por negócios conhecidos em toda a cidade, como a pizzaria Bráz, SubAstor, Pirajá, Lanchonete da Cidade, entre outros, aposta no serviço rápido, de alta qualidade e com preços mais baixos.

Aliar alta qualidade num modelo operacional simples e casual é uma tendência mundial, segundo Edgard Bueno da Costa, um dos sócios do grupo. Além disso, o Brasil passa por uma das maiores crises econômicas de sua história, o que está obrigando o brasileiro a mudar hábitos de consumo e procurar por alternativas mais baratas, mas com qualidade, para produtos e serviços.

 “Momentos de crise em geral desestimulam novos investimentos, mais ainda em projetos de inovação que sempre carregam uma carga de risco maior. Entretanto, ao mesmo tempo, o cenário econômico desfavorável também apresenta a oportunidade de reinventar o negócio e se aproximar ainda mais das demandas do consumidor. A Bráz Elettrica é uma resposta direta ao nosso cliente e ao momento do país”, diz Costa. 

Inspiração. Inspirada na lendária pizzaria Roberta’s, conhecida por ficar em um galpão no Brooklin, em Nova York, onde as pessoas costumam enrolar e comer suas fatias de pizza de pé, a versão brasileira foi apadrinhada pelo pizzaiolo que garantiu fama a pizzaria americana. Anthony Falco ajudou a conceber os discos individuais, feitos em forno elétrico napolitano - capaz de assar uma pizza em até 90 segundos. O pizzaiolo também ajudou a montar o cardápio da nova casa. Entre as novidades estão a Frisco, recheada com spring cream, búfala, escarola, grana padano e tempero lemon pepper e uma nova versão para a tradicional portuguesa: molho, mozzarella, presunto cozido, cebolas caramelizadas, clara de ovo, azeitonas verdes e um fio de gema.

Além das pizzas, o cardápio enxuto, com apenas 9 coberturas, traz ainda duas saladas, uma receita “à la nonna” de almôndegas e três opções de sobremesa, entre elas o bem-sucedido Tiramisù da Bráz. Na seção de bebidas, tem cerveja da casa, que segue o mesmo padrão de qualidade da marca.

De acordo com Costa, a Bráz Elettrica pode ter novas unidades num futuro próximo. “Ela (pizzaria) é um novo projeto ainda em fase de validação do conceito e padrão operacional. Não temos formatado ainda nenhum plano de expansão, mas certamente esse é uma idéia que já nasceu com o DNA da replicação”, finaliza.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.