Reprodução
Reprodução

Pistola monitora o trabalho do policial e informa a localização do agente quando ele faz disparos

Equipamento faz parte da primeira leva de armas de fogo desenvolvida por startup dos Estados Unidos

Estadão PME,

22 de novembro de 2014 | 20h55

Uma startup norte-americana está em vias de lançar a primeira geração de armas de fogo inteligente. O produto, que promete revolucionar o monitoramento sobre o trabalho policial, foca na produção de relatórios quando do momento crítico da função: o instante em que o agente opta por disparar sua arma contra outra pessoa.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O nome da empresa é Yardarm Technologies, um pequeno negócio fundado na Califórnia e, neste momento, o produto está em fase de testes. Entre outras coisas, a pistola inteligente pode reportar em tempo real a localização do agente policial quando a arma foi removida do coldre e exatamente onde e quando ela foi disparada.

Eventualmente, a empresa planeja também que a arma emita dados de telemetria que poderiam ser peças-chave da prova, como o ângulo em que a arma estava apontada quando acionada.

Isso é possível graças a uma série de sensores imperceptíveis instalados no equipamento, segundo conta o vice-presidente de marketing da Yardam, Jim Schaff, em reportagem publicada no site da Fastcompany,

"Nós poderemos manter a gravação do que aconteceu com aquela arma", diz Schaff.

No momento, o equipamento passa por um período de testes nos departamentos de polícia de Santa Cruz, na Califórnia, e de Carrollton, no Texas. Os policias estão trabalhando com uma configuração reduzida de recursos estabelecidos pela Yardarm, justamente para ajustar pouco a pouco as funcionalidades, evitando prejuízos ao produto final.

Do jeito que está, a arma reporta dados de uso para os oficiais utilizando para isso os sistemas de bluetooth ou de radiofrequência conectados aos celulares dos policiais.


Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.