Divulgação
Divulgação

Personagem do humorista Marco Luque ajuda a divulgar serviço de startup para motoboys

Motonow será lançada oficialmente em março para oferecer solução de logística para entregas

Gisele Tamamar, Estadão PME,

13 de fevereiro de 2014 | 06h42

O motoboy Jackson Five, interpretado pelo humorista Marco Luque, é a estrela da campanha de divulgação da startup Motonow, negócio que oferece soluções de logística para entregas expressas. O negócio foi apresentado na quinta-feira, 6, durante o Demoday da aceleradora Aceleratech. O site está em fase de teste com 11 empresas e tem lançamento previsto para março.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A Motonow foi um das dez startups aceleradas durante quatro meses que estão em busca de investidores para potencializar o negócio. A ideia de criar a startup foi dos amigos Pedro Signorelli e Rogerio Guimarães, que se conhecem desde criança e sempre tiveram a vontade de empreender juntos. A dupla ganhou a companhia dos sócios David Aragão e Fernando Kakimoto, responsáveis pela área de tecnologia da informação.

Na apresentação da startup, Pedro mostrou o potencial do mercado e os problemas na contratação do serviço que o negócio quer ajudar a solucionar. "A empresa contrata uma outra empresa, que vai localizar um motoboy no meio do caos da cidade. O motoboy tem que parar a moto, anotar as informações em um pedaço de papel e o cliente fica sem saber se a entrega foi feita ou não", disse.

Diante do cenário, a startup quer facilitar a vida das empresas contratantes e dos motoboys. Para contratar o serviço, o usuário solicita a entrega no site e informa os endereços para buscar e levar o documento. A plataforma vai localizar o motoboy mais perto do ponto de retirada do objeto para fazer o serviço.

Outra vantagem do site é oferecer para a empresa a opção do pagamento mensal dos serviços e um relatório das entregas para ajudar no planejamento dos gastos.

Do lado do motoboy, o profissional cadastrado e certificado vai receber as informações do serviço por meio do aplicativo para fazer a entrega. O modelo de negócio da startup é B2B, ou seja, de empresas para empresas, e a Motonow fatura com a cobrança de comissão das entregas.

O planejamento da Motonow não é ficar restrita aos motoboys. Em abril, a empresa começa o cadastramento de veículos utilitários para incluir na ferramenta. O objetivo da startup é ser uma solução de "same day delivery", ou entrega no mesmo dia. "Isso é uma grande diferença em relação aos concorrentes que têm apenas um produto de motofrete", disse Rogério.

:: Confira o vídeo da Motonow com Marco Luque ::

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.