Reprodução
Reprodução

Pepsico capacita mulheres com projeto de viés social

Parceria com a Fundes Latinoamérica, programa pretende impulsionar o empreendedorismo feminino em localidades com poucas oportunidades de acesso ao mercado

Redação, O Estado de S.Paulo

27 de março de 2019 | 06h01

Mulheres com Propósito é o nome do programa que a Pepsico lançou em parceria com o Fundes Latinoamérica, empresa que trabalha com empreendedorismo de pequeno porte na América Latina, para impulsionar o empreendedorismo de mulheres com poucas oportunidades de acesso ao mercado. Além do Brasil, atua em outros países latinos, com investimento de US$ 1 milhão da Pepsico.

Por aqui, começou em agosto do ano passado em fase beta e, neste ano, já tem cursos agendados para março e abril, com turmas de até 60 pessoas e módulos presenciais e online. A previsão é capacitar 800 mulheres no País neste ano, sendo 2 mil até 2025, todas a partir de 16 anos de idade.

As aulas envolvem noções que vão de gestão a contabilidade, geralmente dadas nos fins de semana, para não atrapalhar a rotina de trabalho das participantes. A seleção tem acontecido por intermédio de ONGs que atuam em comunidades de São Paulo, como a que selecionou no ano passado a artesã Cris Oguê, em São Miguel Paulista, na zona leste.

Segundo Cris, que faz bijuterias e acessórios de forma artesanal, ter participado das aulas com mentores e especialistas do programa a ajudou a pensar na profissionalização do negócio. “Penso em informatizar minha loja. Já consigo enxergar que isso é uma possibilidade real. A mulher tem de se entender como empreendedora”, diz, em vídeo do programa. 

Há 13 anos, Cris faz artesanato para sustentar sua filha e gerar mais renda dentro de casa. Começou trabalhando para outra pessoa, passou a participar de feirinhas pela cidade e hoje, além de ser dona do próprio negócio, conta com uma funcionária na loja que funciona numa garagem no bairro onde mora.

Neste ano, a turma começou a capacitar mulheres bolivianas da região da Vila Nova Cachoeirinha, zona norte de São Paulo, com o apoio de entidades como o Centro de Atendimento ao Migrante. Ali, há aulas aos domingos com opção de monitoria para os filhos das participantes.

As inscrições são abertas apenas nas comunidades onde o programa atua, dando preferência a mulheres dessas localidades. Mais informações no site mulherescomproposito.net.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.