Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Parceria entre Google e DudaMobile permite a pequeno negócio ter site para smartphone

Google coloca no ar hoje ferramenta desenvolvida para empreendedores e que será gratuita nos primeiros doze meses

Daniel Fernandes, Estadão PME,

06 de novembro de 2012 | 06h30

O Google, em parceria com a empresa DudaMobile, lança hoje no Brasil uma ferramenta capaz de adaptar um site convencional em móvel, visível portanto em smartphones. Um dos focos da iniciativa é atrair pequenos empreendimentos que ainda não oferecem ao consumidor uma versão mobile de suas páginas virtuais. “Para restaurantes, 14% do tempo de pesquisa o brasileiro faz pelo celular. Ou seja, 14% da demanda digital vem do celular, mas infelizmente essas empresas não oferecem uma experiência boa para o consumidor”, diz Peter Fernandez, especialista em publicidade móvel do Google para a América Latina.

A ferramenta faz parte do GoMo – iniciativa desenvolvida pela gigante de buscas para ajudar negócios a entrarem na era móvel – e não terá custos para o empreendedor no primeiro ano de uso. Após doze meses, o DudaMobile cobrará pelo serviço de hospedagem. “Basicamente, é uma parceria de distribuição. Para o Google, é incrivelmente importante educar o mercado sobre a importância de sites mobile. Para DudaMobile, é uma oportunidade de alcançar a audiência do Google”, analisa Fernandez.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O executivo afirma, porém, que o pequeno empresário não deve usar a ferramenta com a esperança de que ela aumentará sua relevância no sistema de buscas do Google. “Isso nunca afetaria os rankings. O que pode na verdade afetar o posicionamento dos sites feitos através dessa ferramenta é que as taxas de cliques para sites que funcionam em mobile sempre serão maiores do que as taxas daqueles que não funcionam bem. Então, ao longo do tempo, vai melhorar a qualidade do resultado”, garante Fernandez.

O Google não faz previsão sobre quantos pequenos empreendedores pretende atingir com o lançamento, mas o Brasil é o primeiro país da América Latina a receber o projeto – há planos para que a ferramenta esteja disponível em breve na Argentina e também no México.

Etapas. Para transformar o site, o empresário precisa passar por algumas etapas. A primeira é digitar, em um campo específico da ferramenta, o endereço da página virtual. Em seguida, o sistema faz a adaptação. O empreendedor poderá, no entanto, customizar a versão mobile – colocar o telefone em destaque ou criar um ícone para o interessado acessar o mapa com a localização do seu negócio. Durante o processo, a ferramenta vai gerar o código da versão mobile, que deverá ser incorporado ao original da página.

O Google não é a primeira empresa interessada em criar soluções para pequenos empreendimentos no Brasil. Recentemente, o Facebook lançou um programa que chama-se Rota do Sucesso. Trata-se de uma consultoria para empreendedores interessados em usar a rede social como estratégia de comunicação.

Mas por que o pequeno empresário brasileiro é tão interessante para grandes empresas? “Toda essa questão tem explicação na teoria da cauda longa. Na verdade, pequenos clientes, juntos, podem ser maiores que os grandes mercados”, analisa o professor Marcelo Nakagawa, coordenador do centro de empreendedorismo do Insper. “Quando o Google lançou o AdWords e o AdSense, permitiu que a quitanda da esquina pudesse fazer propaganda em seu site. E juntando todas as quitandas do mundo, elas são muito maiores que a Unilever anunciando.”

Segundo Nakagawa, iniciativas desse tipo são passos que empresas como Google e Facebook precisam dar para continuarem suas trajetórias de expansão. “Eles são negócios fortemente pressionados porque estão crescendo a taxas menores e atender o pequeno empresário é um caminho natural para quem tem que crescer vendendo serviços no mundo online”, conclui.

Como funciona

Virtual - O empreendedor deve acessar o site onde a ferramenta está disponível (www.gomobrasil.com.br/comeceagora) e também precisará digitar o endereço virtual do site da sua empresa.

Customizar - A plataforma se encarrega da transformação, mas o empresário pode destacar, por exemplo, o telefone do seu negócio ou colocar um ícone com o mapa de localização da empresa.

Código - Durante o processo de adaptação do site, a ferramenta vai gerar o código da versão mobile. Ele deverá ser incorporado ao original na página da pequena empresa pelo webmaster.

Adaptação - O empreendedor, ou a pessoa responsável pelo site, vai precisar instalar o redirecionamento, importante para que o site ‘entenda’ a origem do acesso: desktop, notebook ou smartphone.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.