Divulgação
Divulgação

Para startups, agilidade vale mais que plano de negócios

Planejamento de empresas ligadas à internet foi debatido no primeiro módulo da 3ª edição do Encontro PME

Renato Jakitas, Estadão PME,

11 de outubro de 2012 | 09h30

 Rodrigo Borges, um dos fundadores do Buscapé, e Flávio Antônio da Costa Filho, da Buy2Joy, abriram a 3ª edição do Encontro PME, evento que acontece na manhã desta quinta-feira (11), no Espaço Itaú de Cinema do Shopping Bourbon, em São Paulo. Os empreendedores falaram sobre a expansão de startups e como conquistar relevância no mercado que já possui cerca de 10 mil novas empresas ligadas à internet no País.

O tema planejamento foi um dos destaques do módulo Geração Startup, o primeiro do evento. De acordo com os empresários Rodrigo Borges e Flávio Antônio da Costa Filho, no mundo das startups uma boa ideia rapidamente colocada em execução vale mais que um plano de negócios. Os empreendedores abordaram ainda questões como a necessidade de uma empresa do setor se planejar e em até que nível elas devem se preocupar com a questão.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O consenso entre eles, na maioria dos casos, é de que é mais interessante colocar a ideia em ação, executar a inovação e aos poucos ir aparando as arestas e azeitando o negócios.

"O software é uma coisa simples e cada vez mais fácil de se criar. A estrutura do sistema tem muita estrutura montada. É como montar um Lego e em cima colocar os diferenciais. Fazer o produto e ver se o mercado vai aceitá- lo é mais barato do que montar um business plan e com ele prospectar o mercado", destaca Rodrigo, do Buscapé. Flávio concorda. "Você não pode ficar parado com a ideia na cabeça. Tem que fazer acontecer com os recursos que você tem da maneira mais bem planejada possível."

:: Saiba tudo sobre a 3ª edição do Encontro PME ::

>> O País de 10 mil startups

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.