Ayrton Vignola/AE
Ayrton Vignola/AE

Para herdeiro da JBS Friboi, o segredo do sucesso está no equilíbrio

Joesley Batista, presidente da holding J&F, que controla o frigorífico, diz que o empreendedor que faz o que gosta pode ter sucesso em qualquer ramo

Ligia Aguilhar, do Estadão PME,

31 de outubro de 2011 | 07h04

Joesley Batista, de 39 anos, já virou piada entre os amigos por sua mania de grandeza. O empresário é hoje presidente da holding J&F, controladora da JBS Friboi, maior frigorífico do mundo, fundado em 1953 por José Batista Sobrinho, em Anápolis (GO). O frigorífico, que iniciou suas operações com capacidade para abater 5 cabeças de gado por dia, cresceu em ritmo exponencial nos últimos anos e chega a abater atualmente até 60 mil cabeças de gado por mês.

O crescimento foi feito por meio de aquisições ousadas, muitas vezes de empresas maiores do que a própria JBS. “Eu aprendi que o sucesso vem do equilíbrio. O empreendedor tem que fazer conta, mas não demais, senão não faz nada”, diz Joesley. Atualmente, a empresa controla mais de 50 unidades no Brasil e possui filiais em países como Austrália, Estados Unidos e Argentina.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

Apesar do tamanho do negócio que controla, Joesley lida com o assunto de forma simples. É avesso a planejamento de longo prazo e diz que o desenvolvimento da empresa aconteceu de forma natural, planejando um dia após o outro. Nem mesmo as diferenças culturais para administrar a empresa em diferentes países o preocupam. “No mundo inteiro, todo mundo gosta de bons salários, de bom trabalho. Nós mantemos quem se identifica com os nossos valores e assim dá certo”, explica.

Os valores da empresa foram definidos com a mesma praticidade. Joesley diz que um dia reuniu o pai e os irmãos e pediu para cada um dizer quais valores achava que deviam ser incorporados ao negócio. Desde então, esses valores foram registrados e incorporados como meta. “Na hora de contratar, precisamos de pessoas que se identifiquem com esses valores e tenham a mesma atitude para funcionar”, afirma.

Para financiar toda essa expansão, o empreendedor disse que seu grande desafio foi administrar o capital de giro. Mas diz que qualquer empresa com foco e gestão equilibrada, pode conseguir crescer tanto quanto a JBS. “As pessoas tentam atribuir o sucesso de um negócio ao modelo adotado, mas eu acredito que o grande segredo está nas pessoas. Quem gosta do que faz constrói grandes coisas em qualquer ramo”, diz.

O segredo, para ele, é saber quando frear. “Meu pai sempre disse que a gente sabe como uma empresa começa, mas nunca sabe como ela vai terminar.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.