Estadão
Estadão

Para garantir a sobrevivência

Empreendedores passam a valorizar o serviço de olho em problemas imprevisíveis

Estadão PME

30 de maio de 2016 | 05h00

Para pequenos negócios, danos e perdas patrimoniais podem significar a impossibilidade de seguir faturando e, de forma extrema, levando ao fechamento da companhia. Nesse sentido, os chamados ‘sinistros’, eventos que são impossíveis de prever e que causam algum tipo de perda para o proprietário, podem ser amenizados com seguros. 

Com o tempo, seguradoras se especializaram cada vez mais em cercar o cliente de serviços acessórios que agregam valor ao produto. Por isso, a oferta de chaveiros, limpeza, mão de obra e vigilância se tornou comum em planos empresariais. No entanto, conforme constatou a ‘Escolha PME’, o principal fator que motiva a decisão do pequeno e médio empresário no momento de contratar um seguro patrimonial ainda é o melhor preço, que aparece como o principal motivador da escolha. 

Trabalho ‘formiguinha’ justifica destaque atual

O seguro patrimonial, assim como os demais serviços direcionados para empresários de pequeno porte, estão presentes na carteira de opções oferecidas pelo Bradesco, apontado pelo levantamento como o produto mais satisfatório entre os consultados pela ‘Escolha PME’. A companhia marcou 68,6 pontos no índice ponderado da pesquisa, superando a Porto Seguro em relação ao grau de satisfação medido com os empreendedores. 

Há dez anos investindo em uma estratégia massiva de conquista desse público, o Bradesco desenvolveu uma gama de serviços específica para o cliente empresarial.  “O Bradesco Empresas e Negócios é uma estrutura totalmente dedicada a atender empresas de micro e pequeno portes, de clientes que faturam de R$ 240 mil até R$ 30 milhões ao ano”, explica o diretor executivo do Bradesco, Octávio de Lazari Junior.  

“É uma história que fomos criando ao longo desse tempo. Fizemos um acordo com o Sebrae para entender quais eram as demandas desse tipo de empresário para saber como podemos ajudá-lo”, pontua Lazari Junior. O diretor calcula que, em todo o leque de serviços, a instituição tem 1,5 milhão de clientes ‘jurídicos’.

Apesar do destaque em satisfação, o Bradesco aparece em segundo lugar enquanto objeto de desejo do cliente quando ele é questionado sobre o produto que gostaria de consumir no futuro. Dessa vez, a empresa fica atrás da Porto Seguro. “Temos uma mídia menos ostensiva”, justifica.

Mercado pode crescer mais

A Porto Seguro, avaliada com 62,6 pontos em satisfação na categoria, aposta na fatia de público que ainda não tem seguros patrimoniais “Existe um espaço enorme para avançar. Estimamos que aproximadamente 80% das PMEs não tenha seguro ainda. É um segmento ainda muito grande”, analisa Roberto Santos, diretor geral da Porto Seguro. A empresa aposta na personalização de planos para atender às necessidades complexas do pequeno empresário.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.