Monica Bento/AE
Monica Bento/AE

Otimismo do consumidor cresce em novembro, diz CNI

Alta de 0,4% frente a outubro ocorre pelo terceiro mês consecutivo

Luci Ribeiro, Agência Estado,

01 de dezembro de 2011 | 14h57

 O otimismo do consumidor brasileiro aumentou em novembro. A alta - que é de 0,4% frente a outubro e ainda moderada - ocorre pelo terceiro mês consecutivo, acumulando um crescimento total de 1,3% nesse período. Os dados são do Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec), divulgado há pouco pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Para o economista da CNI Marcelo Azevedo, "esse aumento moderado pode ter um efeito do otimismo comum ao fim de ano, mas como a alta do índice vem sendo registrada em um período mais longo, de três meses, pode sinalizar um crescimento contínuo". O Inec de novembro, mesmo com o crescimento, permanece abaixo do registrado no ano passado, 4,7% menor do que no mesmo mês de 2010.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

A maioria dos componentes do Inec apresenta evolução positiva em novembro em relação a outubro. O consumidor está confiante que a renda pessoal vai melhorar. Esse indicador cresceu 2,8% do mês passado para cá. "Essa elevação pode ser explicada pelos recebimentos do 13º salário", analisa Marcelo Azevedo. O consumidor também acredita em melhora da situação financeira (alta de 0,6% em relação a outubro) e das compras de bens de maior valor (alta de 1,1% frente a outubro).

Quando o assunto são endividamento e expectativa de desemprego, a confiança do consumidor diminui. O índice de evolução do desemprego caiu 3% em novembro ante outubro e é o único componente que não melhorou no acumulado dos últimos três meses, sinalizando cada vez maior preocupação das pessoas sobre a oferta de vagas no mercado de trabalho. O índice de endividamento teve queda de 0,8% no período, indicando, segundo a entidade, que, para mais consumidores, as dívidas aumentaram nos últimos três meses.

Apesar da melhora geral no Inec nos últimos três meses, o consumidor continua preocupado com o aumento dos preços. O componente que mede a expectativa de inflação das pessoas segue elevado, com aumento de 1,2% na comparação com outubro. Esse componente está 15,1% abaixo do observado em novembro de 2010, o que, segundo o estudo, revela que há ainda uma preocupação grande dos brasileiros com a inflação.

A pesquisa do Inec foi realizada pelo Ibope de 17 a 21 de novembro com 2.002 pessoas em 141 municípios. 

Tudo o que sabemos sobre:
ConsumidorEconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.