Divulgação
Divulgação

Os animais de estimação transformaram-se nos objetos de desejo das startups

Cada vez mais, empresa de tecnologia buscam criar produtos para o segmento pet

Estadão PME,

26 de agosto de 2013 | 10h40

 O mercado de animais de estimação parece ser o novo foco de uma série de startups, no Brasil e no mundo, que atualmente pensam, desenvolvem e coloca, no mercado uma série de tecnologias que pretendem facilitar a vida dos pets e, claro, de seus proprietários.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + :: 

O caso mais recente é o da empresa norte-americana Petzilla. O empreendimento criou um aparelho que uma vez instalado na residência permite ao dono conversar remotamente com seu animal de estimação. O aparelho conta ainda com uma câmera, que permite o consumidor ver sua residência enquanto, por exemplo, trabalha. O produto está em fase de desenvolvimento e os interessados podem fazer a reserva do aparelho por US$ 99.

A Petzilla não é a única nesse mercado e concorre, por exemplo, com o Petcube - trata-se de uma caixa que permite ao usuário conversar e brincar com o animal de estimação à distância. O produto foi desenvolvido por uma empresa na Ucrânia, que atualmente finaliza a versão que pretende colocar à venda no mercado.

De acordo com especialistas, outra tendência de empresas nascentes é aliar uma tecnologia existente com um processo capaz de facilitar a vida das pessoas. Esse parece ser o caso da Whistle Lab, uma empresa da Califórnia que lançou recentemente uma coleira capaz de entregar um relatório detalhado do comportamento do cão enquanto seu dono está distante.

O dispositivo informa se o animal, por exemplo, passou o dia esticado no sofá, correndo pela casa, ou aproveitou as horas longe do dono divertindo-se com algum brinquedo no chão.

Tudo o que sabemos sobre:
startup

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.