André Lessa/AE
André Lessa/AE

Oficinas da zona leste de São Paulo já se preparam para receber o mundial

Oficinas e guincheiros estão se organizando em cooperativa para atender à demanda

Ligia Aguilhar - Estadão PME,

29 de julho de 2011 | 19h40

De olho no aumento da demanda por serviços que deve ocorrer até a Copa do Mundo de 2014, o mecânico Juvenal Fernando de Almeida Silva, de 40 anos, dono da oficina Vanguarda, na zona leste da capital, está organizando uma cooperativa com outras oficinas e guincheiros para criar uma rede de atendimento e, dessa forma, ganhar poder de barganha nas negociações com fornecedores de peças e equipamentos.

O objetivo é que as oficinas da região possam aproveitar todas as oportunidades que vão surgir com a Copa. Entre elas, o aumento de até 40% no número de clientes . “O grupo já existe há cinco anos, mas agora estamos fazendo a formalização para agilizar o atendimento, ter produtos de alto giro em estoque e, assim, suprir a necessidade dos nossos clientes antes e durante a Copa”, diz Silva, que preside a associação. Segundo ele, o movimento já começou a crescer por causa de empresas que estão trocando ou reformando sua frota de veículos em decorrência de algum evento relacionado à Copa.

Por meio da cooperativa, os mecânicos da região também estão conseguindo o apoio de entidades como o Sebrae para realizar cursos de aperfeiçoamento, além de fechar acordos para realizar visitas aos fabricantes de peças, por exemplo, para troca de experiências.

O grupo agora busca apoio para criar um centro de ensino gratuito de mecânica para formar mão de obra para trabalhar nas oficinas. “Estamos procurando investidores para viabilizar esse projeto, porque hoje já temos dificuldade de encontrar funcionários qualificados”, diz.

Por enquanto, a cooperativa já fechou parcerias com escolas de inglês da região para que os associados estejam aptos a ter diálogos simples com os turistas que devem desembarcar em número cada vez maior no País nos próximos anos. Juvenal é um dos futuros alunos. “A hora de começar a se preparar é agora porque já tem muitas oportunidades surgindo”, diz.

LEIA TAMBÉM:

Quanto os estrangeiros gastarão no Brasil

Cinco estratégias para conquistar grandes clientes

Artesão terá espaço para vender produtos na Copa

Copa pode prejudicar a imagem do Brasil

Uso da biometria faz empresa lucrar com a Copa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.