David Bobrow comandou a mudança de patamar da Tip Top
David Bobrow comandou a mudança de patamar da Tip Top

O que fazer diante da dura realidade: preço e promoção hoje não são mais diferenciais

Confira uma análise feita em conjunto pelos empresários que cuidam da Track & Field e Tip Top

ESTADÃO PME,

19 de agosto de 2015 | 07h01

Atualmente, investidores estão reticentes e consumidores adiam gastos considerados supérfluos ou simplesmente optam por poupar. Esse cenário fica claro diante dos números, afinal, o IBGE constatou que, no primeiro semestre de 2015, houve a maior queda nas vendas do varejo desde 2003. Então, o que fazer para manter-se relevante?

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

De acordo com o CEO da Tip Top, David Bobrow, nesse momento de controle de gastos, nem mesmo as temporadas de promoções são suficientes para manter as lojas cheias de compradores. É preciso ir além e buscar formas de antecipar o comportamento do consumidor para, então, fazer a melhor oferta possível.

Bobrow explica: “Basta olhar ao redor. Tem muitas lojas em promoção. Se você não mostra algo a mais, o cliente não se sente atraído. É importante saber o que o cliente quer antes dele mesmo saber, porém, de uma forma não invasiva. O mercado pode estar diminuindo, mas nada impede que a gente mantenha nossa base e cresça.”

A estratégia da Track & Field, por sua vez, busca alinhar o produto a conceitos de vida saudável. Uma das principais estratégias são os circuitos de corrida promovidos pela grife, que já têm a adesão de mais de 140 mil pessoas no País. 

“Preço e promoção, hoje em dia, não são mais diferenciais. O que adotamos como prática nos últimos anos foi investir na comunidade esportiva. Tentamos de alguma forma proporcionar essa experiência fora da loja. É uma estratégia de longo prazo, por integração dessa plataforma com mídias sociais”, explica Fred Wagner, um dos fundadores da companhia. 

Mesmo diante de indicadores desfavoráveis, porém, as empresas não abandonaram os planos de expansão. Adaptações, como cortes de custos e reavaliações de contratos, ajudam a manter o planejamento. No caso da Tip Top, foi necessário revisar os gastos e aumentar a produtividade, porém, sem deixar a qualidade dos produtos de lado. “Para passar por uma crise, não adianta resolver os problemas enquanto ela acontece, tentando mudar tudo.

As coisas precisam ser antecipadas. No nosso caso, uma equipe bem treinada e a fidelização do cliente têm ajudado bastante”, explica David. “Existem alguns custos que chamo de investimentos. Vamos mexer na qualidade? Jamais. Diminuir o treinamento na ponta? Jamais. Se começar a tratar esse tipo de investimento como custo vira uma bola de neve ao contrário e a empresa vai encolher até o fim”, conclui o CEO da Tip Top. 

A Track & Field aposta na relação estreita com os franqueados para expandir o número de unidades para 130 até o fim do ano, além de manter o processo de internacionalização. “No início, levamos dez anos para conseguir ter algo consistente para poder expandir. É um processo de aprendizado constante”, disse Fred Wagner.

Tudo o que sabemos sobre:
Encontro PME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.