Pixabay
Pixabay

O especialista responde: como validar uma ideia inovadora de negócio

Analista de negócios do Sebrae-SP indica modelo de quatro etapas que ajuda empreendedor a validar hipóteses-chave do negócio antes de investir tempo e dinheiro nele

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de março de 2019 | 12h11

Por Guilherme Sanchez, analista de negócios do Sebrae-SP

Suponha que você tenha tido uma ideia de negócio que acredita ser a “próxima onda” do mercado. Com medo de ser plagiado e ter a ideia roubada, você se tranca no escritório da empresa durante três meses, faz a modelagem da ideia, desenvolve o produto todo e lança no mercado rapidamente. Com algumas semanas de comercialização, aparece a dura verdade: ninguém quer comprar o seu produto.

Essa é uma realidade comum tanto em empresas já consolidadas quanto em iniciantes. A pesquisa Causa Mortis do Sebrae-SP, sobre mortalidade de empresas, apontou que 46% das empresas não conhecem o seu mercado e os hábitos de consumo dos seus clientes. Já um estudo realizado pelo Núcleo de Inovação e Empreendedorismo da Fundação Dom Cabral mostra que pelo menos 50% das startups morrem com um tempo menor ou igual a quatro anos de existência.

Mas como mudar essa dura realidade? O empreendedor e pesquisador Steve Blank, especialista em desenvolvimento de negócios inovadores, defende a ideia de que os empreendedores precisam definir e validar suas hipóteses-chave do negócio antes de investir grande quantidade de recurso e esforço nos projetos. O modelo desenvolvido por Steve Blank é denominado "Desenvolvimento pelo cliente" e é composto por um processo de quatro etapas.

Na primeira etapa (Descoberta do cliente), os empreendedores devem encontrar um problema relevante a ser solucionado e encontrar uma solução alinhada a ele, validando todas as informações com potenciais clientes reais.

Na segunda etapa (Validação pelo cliente), o empreendedor deve ter certeza de que o cliente irá pagar pela solução, validando os canais de venda e distribuição da solução. Até agora, a ideia ainda deve ser um produto mínimo viável (MVP), sem grande investimento de recurso e esforço. 

Após validar as hipóteses de problema, solução e modelo de negócio, os empreendedores estão prontos para acessar o mercado de forma mais agressiva.

Na terceira etapa (Geração de Demanda), a empresa busca ganho de escala do produto no mercado provando e ajustando os canais de venda e distribuição.

Já na quarta etapa (Estruturação do Negócio), a ideia finalmente se transforma em uma estrutura formal, garantindo eficiência e crescimento sólido da empresa.

A jornada não é simples e é passível de erros. Porém, é importante entender que a validação diminui drasticamente as chances de falha de uma ideia inovadora no mercado. Portanto, é necessário construir, medir e melhorar continuamente sua ideia, mesmo antes de investir o primeiro centavo no projeto.

Tudo o que sabemos sobre:
empreendedorismoSebraeempresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.