Reprodução
Reprodução

O empreendedor precisa se perguntar: por que eu vou entrar no Facebook?

Acompanhe dicas para formular uma ação na rede social e participe da nossa nova ação: "O Estadão PME quer saber"

ESTADÃO PME,

23 de janeiro de 2013 | 17h30

O número de pessoas que se tornaram fãs de alguma empresa no Facebook subiu de 4 milhões para 12 milhões entre agosto de 2011 a agosto de 2012, segundo estudo feito a pedido da agência F/Nazca. Embora os números sejam de um levantamento antigo, comprovam que há uma série de oportunidades para pequenos empreendimentos na rede social.

::: O Estadão PME quer saber :::

Qual é a sua estratégia nas redes sociais? Vamos formular uma nova matéria com as melhores estratégias. Conte a sua! Você pode postar um comentário nesta matéria ou enviar um email para pme@estadao.com

Mais dicas para quem quer entrar ou já está no Facebook

Mas antes de expor sua empresa, o empresário precisa traçar um estratégia. "A primeira coisa que é preciso pensar: para que eu vou ao Facebook? Tem lógica ou só vou entrar porque todo mundo está?", questiona o consultor de marketing do Sebrae-SP Marcelo Sinelli.

O consultor visualiza as redes sociais mais como uma forma de construção de imagem e relacionamento com o cliente do que uma ferramenta para vendas. "O empreendedor pode utilizar o Facebook para conhecer seu cliente, saber o que ele gosta, o que ele compra, e usar essas informações a favor da sua empresa", afirma Sinelli. Por exemplo, uma sorveteria pode avaliar qual sabor faz mais sucesso e criar ações específicas com o produto.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Mas a tarefa não é fácil e a empresa precisa tomar cuidado para não se transformar em um catálogo de preço. É indicado colocar produtos, avaliar as preferências dos usuários, mas sem exagero. O empresário deve criar conteúdo, dar dicas, informar novidades, tendências, criar enquetes e gerar discussões. "Não é fácil e não tem receita pronta, mas é importante criar um conteúdo relevante para gerar um 'boca a boca' favorável à empresa", alerta Sinelli.

A partir de uma postagem, é importante acompanhar a repercussão, o que gerou mais comentários ou curtidas, para utilizar essa informação no seu negócio. E não pode deixar o perfil abandonado. É preciso postar com certa frequência e acompanhar diariamente para verificar a repercussão, como elogios, críticas e reclamações.

O problema é se o empresário terá tempo para fazer o serviço. Caso contrário, é recomendado designar uma pessoa para cuidar do perfil na rede social ou até contratar profissionais especializados no assunto. "Não se pode esquecer que o mundo digital será a continuidade da identidade da empresa no mundo físico", finaliza o consultor. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.