Novo modelo de papel pode aposentar testes de gravidez eletrônicos

Startup dos Estados Unidos apostou em características sustentáveis no desenvolvimento do Lia Diagnostics

Estadão PME,

23 de junho de 2015 | 07h05

O teste de gravidez do futuro será feito de papel biodegradável e pode varrer do mercado os modelos eletrônicos que são comuns atualmente. Uma startup da Filadélfia, nos Estados Unidos, projetou um teste sustentável que poderá ser descartado nas vezes em que der negativo ou ser guardado como recordação, quando indicar positivo.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

::Twiter::

::Facebook::

::Google::

O que pode definir o sucesso do produto criado pela Lia Diagnostics nos próximos meses é o design. Uma vez feito em papel, reduz o custo de produção e, consequentemente, derruba o preço final para os consumidores. As dobraduras, por sua vez, tornam o ato de fazer o teste mais discreto para as mulheres, segundo a empresa.

"Percebemos que pouca inovação foi adicionada aos testes de gravidez nos últimos 30 anos. O que a indústria tem feito é adicionar componentes eletrônicos caros para agregar valor aos produtos e torná-los mais caros, nada além disso", disse Bethany Edwards, fundador da startup, para o site Fast Company.

A expectativa da empresa é colocar o produto no mercado dos EUA até 2017, período em que o projeto passará por um processo de certificação junto às autoridades de saúde daquele país.

:: Confira o vídeo sobre o produto, em inglês::

Tudo o que sabemos sobre:
SustentabilidadeDesignGravidez

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.