Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Novo livro promete desvendar mitos corporativos e o que os MBAs não conseguem ensinar

Autor conta que Brasil já teve até MBA de sexo, com 24 horas de aula

DANIEL FERNANDES, ESTADÃO,

24 de julho de 2014 | 06h50

O engenheiro e administrador de empresas Jorge Duro atua faz mais de vinte anos como gestor de empresas nacionais e multinacionais. Ele é também professor e coordenador acadêmico do MBA de Gestão Comercial e de Vendas da PUC-RJ. E essas duas últimas funções certamente o inspiraram a escrever Mitos Corporativos - O que os MBAs não ensinam. 

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Por meio de quinze estudos de caso hipotéticos e de fácil compreensão, Jorge Duro revela quais são os aspectos principais que precisam ser absorvidos pelas pessoas que pretendem ganhar uma posição de destaque em qualquer organização. Pelo lado do empreendedor, a leitura é interessante para moldar a política de benefícios dos pequenos negócios, o que oferecer para os funcionários, e para talvez combater certas políticas corporativas.

Na introdução do livro, o autor justifica a obra. Para Jorge Duro conta que no Brasil os MBAs ganharam força no começo dos anos 2000 e, no início, tinham pouca regulamentação. 'Cheguei a presenciar MBAs de sexologia com 24 horas de aula!' A partir de 2001, o Ministério da Educação passou a definir regras, exigir capacitação dos professores e, também, carga mínima de aulas. 'Como profissional, o que me preocupa é a baixa ênfase dada a aspectos de poder e política que estão presentes no mundo corporativo, principalmente nas altas esferas'.

Fica técnica

Mitos Corporativos - O que os MBAs não ensinam

Autor: Jorge Duro, ph.D

Editora: Portfolio Pinguin

Preço: R$ 35 aproximadamente

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.