Notebook: Empate no primeiro lugar do índice

Notebook: Empate no primeiro lugar do índice

Fornecedores da categoria oferecem soluções e produtos específicos para atender os PMEs

Redação, São Paulo

29 de agosto de 2019 | 20h02

A Dell se manteve na liderança do Escolha PME, com avaliação positiva de 74 pontos. Mas agora ela divide o alto do ranking com a Apple, que não havia aparecido no último levantamento. Outra a figurar entre os três primeiros pela primeira vez foi a Lenovo, com 64 pontos de satisfação. A Acer fica com o terceiro lugar, com 60.

Confira o especial multimídia com os vencedores do Escolha PME 2019

Para Diego Puerta, vice-presidente e gerente geral de Consumo da Dell, a empresa aparece como líder por causa do atendimento. “Falamos diretamente com os pequenos e médios empresários. A experiência é muito diferente”, avalia. Esse atendimento não é feito por call center. “Você fala com um consultor que trabalha para a minha equipe”, explica. Ele ainda destaca a oferta de soluções via nuvem e os serviços de consultoria Dell Expert Network. “São 4,5 mil profissionais certificados”, conta Puerta. Os especialistas ajudam a resolver problemas de empresas com até 99 funcionários. 

Lenovo atenta ao orçamento

Na segunda posição no ranking de 2019, a Lenovo tem uma estratégia semelhante à da Dell, com a preocupação de oferecer produtos de acordo com a necessidade das empresas. “Qualquer um pode comprar um notebook, mas o PME tem demandas diferentes”, diz Augusto Rosa, diretor de Canais da Lenovo no Brasil.

Em parceria com revendas, a empresa montou uma rede para ajudar os clientes a escolher os produtos corretos e também a contratar serviços de tecnologia. “PMEs muitas vezes não têm um setor de TI e nós nos colocamos como uma referência”, afirma.

Para Rosa, a Lenovo começou a se destacar entre o segmento por causa da presença no mercado de consumo doméstico. Os PMEs, porém, precisam entender que os produtos corporativos exigem mais cuidado. Notebooks comuns nem sempre podem ser utilizados com segurança em rede ou conectados a um pequeno servidor para compartilhamento de arquivos.  

E, para essas empresas, fazer uma compra errada tem um peso extra no orçamento. “Se você adquire um computador pagando mais do que deveria, deixa de usar o dinheiro em outras áreas da empresa.”

Máquinas feitas para o segmento

A venda de produtos para pequenos e médios e empresários representa uma fatia bem relevante para a Acer, terceira colocada entre os fornecedores de notebooks. Por isso, o foco tem sido melhorar os produtos para esses clientes, conforme explica Anderson Kanno, diretor de Marketing da Acer. Segundo Kano, há equipamentos desenvolvidos especificamente para o setor, após a percepção de que os notebooks não realizavam corretamente as tarefas empresariais. 

 “Nós tínhamos dois extremos. Ou as pequenas empresas não compravam os computadores corretos porque eles tinham muitos recursos de segurança, usados por grandes corporações, e eram muito caros, ou elas compravam no varejo e não eram atendidas da forma correta”, diz Kano. 

 Para resolver essa questão, a companhia tentou chegar a um meio termo, criando portáteis com os principais recursos de quem usa o equipamento de forma profissional, porém com preço mais acessível. 

A estratégia se complementa com uma rede nacional de parceiros especializados, que têm a função de recomendar os computadores com o melhor custo-benefício para cada tipo de situação.

Tudo o que sabemos sobre:
LenovoApplecomputadorEscolha PMEDell

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.