Reprodução site
Reprodução site

No dia do sorvete, conheça cinco negócios ligados ao doce que ganharam relevância

Diletto, Rochinha, Coldstone, Bacio di Latte e Gelateria Bella são exemplos de como ganhar dinheiro com a guloseima

ESTADÃO PME,

23 de setembro de 2012 | 09h38

Hoje, dia 23 de setembro, comemora-se o Dia do Sorvete. Inspirado na data, o Estadão PME listou cinco negócios ligados à guloseima que podem ajudar no processo de criação de novos empreendimentos. Um deles é a empresa brasileira Diletto, com sua receita familiar que data do início do século 20.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

"Na região do Vêneto, na Itália, meu avô era o único a fabricar um produto de qualidade nesse formato", explica o empresário Leandro Scabin, que imitou seu 'nono' quando decidiu abrir, em 2009, a Diletto brasileira. A principal dificuldade foi equilibrar uma massa bastante cremosa (que caracteriza um sorvete italiano de qualidade) em um palito. Dificuldade superada, hoje a Diletto está presente em lojas, restaurantes e shoppings.

Quem também prospera no setor é a Sorvetes Rochicha. A empresa do litoral paulista faturou R$ 11 milhões no ano passado e pretende ampliar a produção de picolés e sorvetes de massa em 30% até 2013 - atualmente, a Rochinha fabrica 70 mil picolés por dia e 2 mil litros de sorvete de massa.

Para alcançar esse crescimento e exportar para Portugal, Estados Unidos e Emirados Árabes, a companhia investiu R$ 8 milhões na inauguração de uma nova fábrica, que funcionará na cidade de São José dos Campos, interior do Estado de São Paulo.

Para quem gosta de experimentar sabores, a rede norte-americana de sorveterias Coldstone chega ao Brasil com 11 milhões de combinações. A marca começou a funcionar em Curitiba no dia 21 de agosto e prepara sua chegada a São Paulo até fevereiro de 2013. O número de 11 milhões de combinações é resultado de um catálogo de 86 sabores e um mix de 160 itens - como coberturas.

Outro caso bem-sucedido é a sorveteria Bacio di Latte, conhecida pelos sabores cremosos italianos, e idealizada pelo escocês Nick Johnston e o italiano Edoardo Tonolli. A loja está instalada na Rua Oscar Freire, em São Paulo, e recentemente abriu sua unidade no shopping JK Iguatemi.

O melhor. O sorvete de creme de noz-pecã com xarope de bordo da sorveteria Bella, de Vancouver, no Canadá, foi eleito o melhor sabor do Firenze Gelato Festival de 2012. Em entrevista para o Paladar, o dono da sorveteria, James Coleridge, afirmou que fazer sorvete não é simplesmente abrir um pacote pré-pronto e misturar, mas um processo artístico de buscar o equilíbrio entre os sabores e a textura.

"Temos a custódia de um processo do mundo antigo que se perdeu no mundo industrializado. Mas, é claro, todo mercado tem espaço para artistas e para a indústria de massa, e o mesmo acontece com o mercado dos gelatos e sorvetes", disse.

Questionado sobre o que torna o sorvete especial, James Coleridge respondeu: "Não uso ingredientes manipulados previamente nem compro nada pronto. Faço tudo partindo do zero, do produto original. Para preparar o creme de nozes que serviu de base para o sorvete campeão, assei as nozes por seis horas."

 

:: Confira a galeria de fotos com os negócios relacionados ao sorvete ::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.