Divulgação
Divulgação

Negócios relacionados a tecnologia impulsionam crescimento de franquias em 2014

Balanço divulgado pela ABF mostra segmento de Comunicação, Informática e Eletrônicos com maior faturamento no ano passado

Estadão PME,

26 de fevereiro de 2015 | 15h23

As franquias relacionadas ao segmento de Comunicação, Informática e Eletrônicos foram responsáveis por impulsionar o índice de faturamento do setor em 2014, com um aumento de 27% em relação ao ano anterior. Os dados são do balanço anual da Associação Brasileira de Franchising (ABF) divulgados nesta quinta-feira (26).

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

"O mercado de eletrônicos ainda está muito aquecido no Brasil. No ano que passou, o País chegou a 208 milhões de aparelhos mobile. Com isso, os serviços relacionados a acessórios, softwares e programação são investimentos com grandes chances de sucesso em franquias. A busca pela melhora na performance de dispositivos tecnológicos não se esgota", explica o diretor executivo da ABF, Ricardo Camargo.

Os segmentos de Acessórios Pessoais e Calçados e Casa e Construção também apresentaram um aumento significativo no faturamento em 2014 e arrecadaram, respectivamente, 19% e 17% a mais em relação ao ano anterior.  O faturamento das redes de franquias relacionadas a Negócios, Serviços e Outros Varejos corresponde a 21% do total arrecadado pelas franquias em 2014, avaliado em R$127 bilhões.

O segmento de alimentação vem em seguida, responsável por 20,1% do faturamento do franchising nacional. De acordo como Camargo, a diversidade de opções de investimento fortalece o segmento. "Cerca de 80% das franquias de alimentação estão em praças de alimentação, e supermercados e street centers são uma possibilidade de crescimento. Abrir um restaurante hoje é muito caro e optar por uma franquia simplifica o processo."

A projeção da ABF é que o faturamento do mercado de franquias cresça até 9% em 2015, com possibilidades de superar os 7,7% de 2014. O número de marcas deve aumentar 8% e o de novas unidades, crescer entre 9% e 10%. "O mercado de franquias no Brasil está maduro, bem posicionado e vem ao encontro do desejo de grande parte dos brasileiros, que é ter um negócio próprio", explica Camargo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.