Epitácio Pessoa/Estadão
Epitácio Pessoa/Estadão

Negócio quer faturar R$ 20 milhões para encontrar quartos de hotéis para viagens de última hora

Hotelli foca o mercado corporativo a partir de janeiro e quer atingir 90 mil reservas no primeiro ano

GISELE TAMAMAR, ESTADÃO PME,

12 de dezembro de 2012 | 06h30

Conectar profissionais que marcam viagens de última hora com hotéis com quartos vagos. E por um preço vantajoso, até 70% menor em relação a tarifas normais. Essa é a proposta do Hotelli, serviço online que começou a funcionar há um mês. Atualmente, o site funciona em um modelo aberto, mas a partir de janeiro, o foco será o mercado corporativo. A expectativa da empresa é faturar R$ 20 milhões e atingir 90 mil reservas no primeiro ano de operação.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Até o fim do ano, o Hotelli quer atingir 150 mil usuários e 4 mil reservas. Só do mercado corporativo, o site já recebeu cadastro de 325 empresas em 20 dias. De acordo com o fundador do Hotelli, Paulo Cesar Garcia Júnior, de 30% a 35% das viagens corporativas são feitas no mesmo dia ou marcadas de hoje para amanhã, ou seja, dentro do conceito de último minuto ou last minute.

No entanto, o problema do Brasil é que o último minuto é mais caro. O fundador do Hotelli explica que nos Estados Unidos, quando as agências virtuais apareceram, a primeira coisa que surgiu foi a agência focada em vender a ociosidade do último minuto. Ou seja, era possível garantir a venda total dos quartos se o hotel fizesse um bom preço no último minuto.

"O Brasil pegou a onda futura, da agência que vende pacote futuro. Nunca se experimentou o last minute no Brasil", diz Garcia Júnior. Como não existia uma solução para essa situação, o hotel tinha como saída aumentar o valor da diária para tentar reduzir o prejuízo com a ociosidade dos quartos. "O Hotelli veio para suprir esse gap", afirma o empresário, que também é um dos fundadores da agência de viagens online Hotel Urbano, mas deixou a operação para criar o Hotelli.

Com o foco no mercado corporativo, o Hotelli terá um sistema de gestão de viagens para empresas, com a possibilidade de cadastro dos cartões corporativos e de todos os funcionários. O site vai negociar as melhores tarifas com os hotéis cadastrados e a empresa se compromete a comprar com os hoteis parceiros.

O Hotelli também vai funcionar como um benefício para os funcionários das empresas cadastradas, que terão acesso a pacotes de viagens para lazer com desconto. "Da mesma forma que a empresa oferece um plano de saúde, ela pode oferecer o acesso a pacotes de viagens com desconto", diz Garcia Júnior. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.