Divulgação
Divulgação

Negócio ajuda mulher a perder medo de dirigir a bordo de carro rosa

Instrutora de autoescola investiu R$ 220 mil em centro de treinamento só para o público feminino

Gisele Tamamar, Estadão PME,

02 de novembro de 2014 | 06h00

Com pai instrutor e depois dono de autoescola, Carla Muller, de 35 anos, sempre vivenciou essa rotina de instrução no trânsito. Tanto que aos 18 anos fez curso e conseguiu a credencial para atuar como instrutora. Ao enxergar uma oportunidade no ramo, inaugurou na terça-feira, 28, um centro de treinamento voltado apenas para mulheres com habilitação, mas que têm medo de dirigir.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

"Teve um dia que um casal de clientes falou que seria interessante criar um ambiente voltado para o público feminino. O tempo passou e foi só do ano passado para cá que resolvi investir", conta Carla. Durante o trabalho como instrutora, era comum encontrar mulheres com o receio de dirigir, mesmo após conseguir a habilitação, o que deu mais confiança para Carla investir no novo negócio.

O centro de treinamento Mulheres no Trânsito exigiu investimento de R$ 220 mil na compra de quatro veículos e estruturação do negócio, no bairro da Saúde, em São Paulo. Detalhe: todos os carros são rosa. "Resolvi caracterizar os carros com uma cor que a maioria das mulheres gosta", conta. Ao andar com o carro rosa pelas ruas de São Paulo, Carla conta que um ou outro homem faz uma ofensa sobre a mulher no volante. Mas, em geral, a cor ajuda a alertar as outras pessoas para ter paciência com a motorista.

Além das aulas práticas, o centro de treinamento oferece acompanhamento psicológico. O pacote com cinco aulas práticas e um sessão com a psicóloga custa R$ 400. "Normalmente, as maiores dificuldades das mulheres são a saída e ladeira. É o trauma da mulher. Tem caso de mulher que para o carro e chama o motoboy para tirar o veículo", relata Carla. "Quero um lugar que a mulher se sinta segura, consiga tirar as dúvidas e saia satisfeita para sua rotina diária e para aproveitar a vida", completa.

 

Tudo o que sabemos sobre:
mulhertrânsitoEstadão PME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.