Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Modelo de gestão que acaba com a figura do chefe ganha força ao ser adotado pela Zappos

Perguntamos ao blogueiro do Estadão PME mais detalhes sobre a teoria; confira!

ESTADÃO PME,

27 de fevereiro de 2014 | 09h16

 Você já ouviu falar da holocracia? Basicamente, trata-se de um sistema que acaba com a atual estrutura de comando nas empresas - desaparece a figura do chefe e qualquer funcionário tem autonomia para decidir pois qualquer empregado integra círculos quase que inteiramente independentes uns dos outros.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Loucura? Não para a Zappos. A rede de varejo da Amazon, criada por Tony Hsieh, decidiu no começo deste ano adotar o tal inovador sistema de gestão da companhia. E só o tempo será capaz de dizer se ele vai efetivamente funcionar.

Para entendermos melhor a tal da holocracia recorremos ao professor de empreendedorismo Marcelo Nakagawa, que também é blogueiro do Estadão PME. De acordo com o especialista, a proposta da holocracia não é necessariamente nova e é baseada em sistemas de auto-gestão de equipes.

Ainda segundo Nakagawa, a discussão sobre grupos autônomos dentro das empresas é bem antiga em gestão - Nakagawa cita o professor Roberto Marx, da Escola Politécnica e que tem se dedicado a estudar o assunto. "O tema, sempre que foi abordado, gerou enormes polêmicas pois nem todas as pessoas foram 'programadas' para serem autônomas", escreveu Nakagawa.

O homem  por trás da holocracia nos Estados Unidos é Brian Robertson. Conheça mais sobre a teoria e o especialista.

 

Tudo o que sabemos sobre:
holocracia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.