Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Micro e pequenas empresas fecham 2012 com R$ 528,5 bilhões de receita

Aumento do faturamento de 8,1% é superior ao indicador do Banco Central considerado como prévia do PIB, de 1,64%

ESTADÃO PME,

20 de fevereiro de 2013 | 12h24

Enquanto o Índice de Atividade Econômica do Banco Central, indicador considerado como uma prévia do resultado do Produto Interno Bruto (PIB), registrou um crescimento de 1,64%, as micro e pequenas empresas de São Paulo apresentaram uma alta de 8,1% no faturamento real em 2012 em comparação com 2011. É o que mostra estudo divulgado nesta quarta-feira, 20, pelo Sebrae-SP. A alta de 8,1% também é maior do que a registrada na comparação de 2011 com 2010, de 4,4%.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

De acordo com o levantamento, as empresas apresentaram uma receita total de R$ 528,5 bilhões no ano passado - R$ 39,5 bilhões a mais do que 2011. Só em dezembro, a receita foi de R$ 49 bilhões, R$ 2,9 bilhões a mais que no mesmo mês do ano anterior.

Em nota, o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano, afirmou que o consumo aquecido no mercado interno, com evolução positiva da ocupação e da renda, sustentou os bons números das MPEs. “A boa fase do mercado de trabalho tem sido fundamental para impulsionar as vendas das MPEs, pois além de desemprego em baixa, a renda média dos trabalhadores subiu”, disse.

Na divisão por setores, o ano foi melhor para o comércio, que registrou alta de 9,6%. Já a alta do setor de serviços foi de 7%, seguido da indústria com 5,6%.

Futuro. A pesquisa ainda contemplou a expectativa dos empresários para os próximos seis meses. Consultados em janeiro, metade dos empresários esperava uma manutenção do faturamento. Já 29% acreditavam em um crescimento, 9% falavam em piora e 11% não sabem como se comportará o seu negócio.

“Em 2013, espera-se que a economia brasileira cresça 3,1%, um porcentual moderado, ainda assim melhor do que em 2012. As MPEs devem acompanhar essa evolução”, afirmou Caetano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.