Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

Método que acelera aprendizado é negócio de sucesso em Curitiba e deve ganhar espaço no País

Gladys Mariotto superou uma série de barreiras para, primeiro estudar, e depois investir R$ 200 mil em empresa que chama atenção até da Unesco

Rodrigo Rezende, Estadão PME,

24 de junho de 2013 | 06h40

Gladys Mariotto tinha o sonho de fazer faculdade e após 19 anos longe da escola decidiu que iria estudar. Mas ela tinha dois problemas: a falta de recursos financeiros para fazer cursinho e o déficit de atenção e hiperatividade que descobriu ter. Mesmo assim, Mariotto não desistiu, estudou de maneira autodidata e desenvolveu um método próprio de aprendizagem. E essa técnica transformou-se em negócio premiado na categoria Minha História de Sucesso.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Durante seus estudos na faculdade, o filho mais novo da empresária, com 8 anos na época, ainda teve um acidente vascular cerebral – Gladys buscaria de novo no método uma forma de conciliar os estudos com os cuidados de que o menino necessitava.

Ela estudou pintura, filosofia, sociologia, história da arte, fez mestrado, escreveu 35 livros didáticos e produziu 30 filmes. Seu método próprio de estudo acabou tornando-se uma atividade profissional. Juntando o conhecimento adquirido nos últimos 14 anos e sua experiência de estudar sozinha, Gladys criou o site jaentendi.com.br – no ar desde maio de 2012.

Trata-se de um projeto de pesquisa científica, tecnológica e de inovação desenvolvido com o objetivo de oferecer ao mercado uma solução de inteligência educacional focada na aceleração do aprendizado. “Comecei reescrevendo apostilas e colorindo, desenhando e fazendo mapas mentais para aprender, até chegar ao método, e decidi replicá-lo”, conta.

A empreendedora já recebeu diversos prêmios pela iniciativa e ganhou destaque ao apresentar o projeto em países como Japão, ela foi finalista do Japan Prize 2010, competição mundial de mídia educativa, e Cuba – a convite da Unicef, ela apresentou o projeto como exemplo de educação inovadora. Aqui no Brasil, a metodologia já foi aplicada com foco no Enem e também para explicar obra de filosofia de Nietzsche a alunos de escolas públicas em Curitiba. A empreendedora afirma que investiu até agora cerca de R$ 200 mil no empreendimento e está em busca de investidores para crescer.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.