Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Mercado de franquias desacelera e ABF aponta números como 'preocupantes'

Mesmo assim, segmento avança 11,9% em 2013 e Brasil alcança a terceira posição em ranking mundial de número de marcas, superando os EUA

Gisele Tamamar; Estadão PME,

11 de março de 2014 | 12h41

O setor de franquias registrou desaceleração em 2013. O crescimento de 11,9% no faturamento em comparação com 2012 é o menor desde 2006, quando o franchising cresceu 11%. Na comparação de 2012 com 2011, a alta tinha sido de 16,2%.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Os dados foram divulgados nesta terça-feira, 11, em coletiva de imprensa organizada pela Associação Brasileira de Franchising (ABF) na cidade de São Paulo. Na avaliação do diretor-executivo da entidade, Ricardo Camargo, os números de 2013 são positivos, mas preocupantes. Em números absolutos, o setor movimentou R$ 115,5 bilhões ante R$ 103,2 bilhões em 2012.

Ainda segundo Camargo, o menor crescimento foi influenciado pelo próprio cenário econômico do País, principalmente pela estabilização do crescimento da classe média e a menor massa salarial. Do lado positivo, o franchising foi influenciado pelo crescimento do número de shoppings e a opção de empresas pelo modelo de negócio.

Para 2014, a associação estima um crescimento de 10%. A expectativa também é aumentar em 9% o número de unidades e em 8% o número de novas marcas.

Resultados. Mesmo assim, o mercado de franquias continua com crescimento na casa dos dois dígitos. Segundo o balanço da ABF, com o faturamento registrado de R$ 115,5 bilhões em 2013, 11,9% a mais que em 2012, já são nove anos consecutivos em que o setor cresce mais de 10% ao ano.

O levantamento ainda mostrou que existem 2.703 redes em operação no País, uma alta de 11,4% em comparação com o ano anterior. Só em 2013 foram registradas 277 novas franquias.

O Brasil ocupa a terceira posição no ranking World Franchise Council em número de marcas - atrás apenas de China e da Coreia do Sul. De acordo com Ricardo Camargo, diretor-executivo da ABF, o Brasil superou os Estados Unidos pela primeira vez.

No balanço por número de unidades franqueadas, o aumento foi de 9,4% com a marca de 114.409. O setor ainda foi responsável pela criação de 88 mil novos empregos, totalizando 1.029.681 empregos diretos e indiretos - alta de 9,4%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.