Tiago Queiroz/AE
Tiago Queiroz/AE

Média empresa de ensino dá certo ao apostar no uso da tecnologia

Grupo Prepara faturou R$ 178 milhões em 2011 com cursos profissionalizantes e do idioma inglês para a classe C

Carolina Dall’Olio, Estadão PME,

17 de fevereiro de 2012 | 18h02

 Sentados lado a lado, como se estivessem em uma lan house, os alunos da Prepara Cursos aprendem conteúdos completamente distintos dentro de uma mesma sala de aula. Cada um deles está matriculado em um curso profissionalizante diferente – a escola oferece 70 opções.

O professor é o computador. Mesmo assim, os instrutores – há um para cada grupo de dez alunos – passeiam pela sala  para conferir se o estudante está conseguindo acompanhar a aula exibida na tela.

Ao usar a tecnologia como ponto central de uma metodologia de ensino, o empresário Rogério Gabriel inovou no setor de educação. “A sala de aula da Prepara é como um avião e nosso desafio é ocupar as poltronas. Mas temos uma vantagem em relação às companhias aéreas: cada um dos nossos alunos vai para um destino diferente”, compara Rogério Gabriel.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Com a criação de um sistema de ensino individualizado, de baixo custo, pautado pelo uso da tecnologia, a Prepara formatou um modelo de negócio lucrativo e conquistou 495 franqueados em apenas oito anos. Em julho de 2011, lançou uma nova marca, a Aprenda Idiomas, que utiliza a mesma metodologia para o ensino do inglês. A rede já possui 382 unidades. Elas funcionam dentro das escolas da Prepara, no modelo store in store, como uma fonte de receita extra para os franqueados.

Após faturar R$ 178 milhões em 2011 com as duas marcas, o Grupo Prepara agora inicia uma nova empreitada: a criação da bandeira Ensina Mais. A metodologia consagrada pela empresa será usada em aulas de reforço escolar para alunos do Ensino Infantil e Fundamental. Os franqueados aprovaram a ideia. Lançada em janeiro, a rede tem hoje 28 unidades.

“O mérito da Prepara foi usar a tecnologia não como simples ferramenta, mas como base para um novo modelo de negócio”, comenta Filomena Garcia, diretora da consultoria Franchise Store, especializada em franquias. “A empresa criou uma franquia de baixo custo capaz de atender a demanda por educação profissionalizante, que é muito forte hoje em dia. Assim, conseguiu crescer e ocupar espaço em um setor que, cada vez mais, é marcado por fusões e dominado por grandes empresas.”

Minha história

Antes de fundar o Grupo Prepara, Rogério Gabriel comandou nos anos 90 a rede de lojas Precisão, que vendia computadores e prestava serviços de informática no interior do Estado de São Paulo. Foi por meio do contato com os clientes que o empreendedor percebeu a forte demanda pelo ensino profissionalizante. Os negócios  que contratavam a Precisão pediam para o empresário  treinar seus funcionários, pois faltava mão de obra qualificada para operar os sistemas de computação.

“Enxerguei a possibilidade de criar uma rede que usasse a tecnologia para tornar o ensino mais barato para as escolas e mais atrativo para os alunos”, conta Gabriel. Este é justamente o diferencial da Prepara.

Metodologia

O conteúdo de qualquer disciplina – seja o curso profissionalizante de Petróleo e Gás ou as aulinhas do Ensina Mais – é apresentado ao aluno em forma de jogos, de maneira interativa. Quando o assunto fica mais árido, um bonequinho virtual (apelidado de Preparado) aparece na tela para dar dicas e chamar a atenção do estudante. Os alunos adoram e 98% avaliam as aulas como boas ou excelentes. O índice de recompra dos cursos é de 27%.

Ao conferir aos computadores o lugar antes ocupado por educadores tradicionais, a empresa driblou um dos principais entraves para o crescimento dos negócios do setor de educação: o alto custo da mão de obra de qualidade e a demora para o treinamento desses profissionais.

Hoje, quando a Prepara cria um novo curso, leva apenas 15 dias para que o módulo seja implantado em toda a rede. Além de diminuir os gastos com formação de mão de obra e permitir que a empresa ganhasse escala, o modelo também possibilitou uma ocupação mais eficaz dos espaços físicos, reduzindo as despesas com ocupação dos imóveis da rede.

Por tudo isso, a empresa consegue praticar preços baixos. O reforço escolar da Ensina Mais vai custar, por mês, R$ 79 e os valores dos cursos da Prepara e da Aprenda Idiomas variam entre R$ 60 e R$ 120 mensais.

Mesmo assim, os franqueados têm boa lucratividade: em média, 30% do faturamento mensal. O investimento inicial na franquia para unidades mais compactas partem de R$ 35 mil (caso da Ensina Mais, por exemplo). “Vamos continuar crescendo rápido porque nosso motor é a vontade da classe C de ascender socialmente através da educação”, analisa Gabriel.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.