Divulgação
Divulgação

Mecanismo portátil verifica hálito do usuário e emite alerta para escovação

Mint, aparelho criado pela empresa Breathometer, envia dados por bluetooth para smartphones

Estadão PME,

07 de janeiro de 2015 | 15h58

 Mais do que evitar constrangimentos em áreas de convívio social, ter um hálito saudável é um indicador corporal que demonstra que o organismo está em boas condições de funcionamento. Tanto que avaliá-lo com certa frequência e com precisão é fundamental para monitorar a saúde do indivíduo; E fazer isso utilizando a mão em forma de concha na frente da boca não é a maneira mais adequada.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Com base neste panorama, a empresa Breathometer, da Califórnia (EUA), criou um tipo de bafômetro digital que analisa o hálito e indica se a pessoa precisa higienizar a boca - seja com a escova de dentes, um enxaguante bucal ou uma bala de hortelã.

O aparelho desenvolvido, batizado de Mint (menta, na tradução do inglês), realiza a medição a partir do ar soprado pela pessoa para dentro do produto e envia os dados via bluetooth para um aplicativo instalado em um smartphone.

Ele consegue captar a presença de certas bactérias e indica ao usuário se ele precisa se hidratar ou se o hálito dele está ruim, geralmente provocado por alimentos ácidos ou ingestão de bebidas que retiram água do corpo, como é o caso do álcool e as feitas a base de cafeína.

Para tornar real o projeto e produzi-lo em escala comercial, a Breathometer criou uma campanha no site de financiamento coletivo Indiegogo. No ar desde o último domingo (04), a campanha tinha como objetivo alcançar US$ 25 mil e já o ultrapassou, chegando a US$ 25,8 mil nesta quarta-feira (07). A arrecadação online irá até março deste ano.

:: Confira como funciona o Mint ::

MINT Indiegogo - WEB from Breathometer on Vimeo.

Tudo o que sabemos sobre:
SaúdeBafômetroHálito

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.