Paulino investe em proposta diferente na web
Paulino investe em proposta diferente na web

Marca estreia na internet e oferece mais opções de tamanhos de calça

Jack the Barber espera alcançar um faturamento de R$ 2 milhões este ano

Gisele Tamamar, Estadão PME,

27 de março de 2015 | 07h15

A experiência frustrada ao comprar uma calça no shopping motivou o empresário Guilherme Paulino a criar a marca Jack the Barber. Lançada apenas na internet em outubro do ano passado, a previsão é alcançar um faturamento de R$ 2 milhões este ano. Ele não descarta a instalação de um ponto físico.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

Quando foi comprar a calça, Paulino precisou fazer a barra, processo que precisou ser refeito e que demorou 15 dias no total. Foi então que ele enxergou a possibilidade de oferecer a peça com diversos tamanhos de perna, assim como existe nos Estados Unidos.

“Além da questão da perna, 90% dos consumidores conseguem comprar na loja e usar a peça sem ter que fazer a barra ou algum tipo de ajuste”, garante. Para lançar a marca, Paulino fugiu do canal tradicional de showroom, lojas multimarcas e franquias. E ao escolher o mundo virtual, o empreendedor deu prioridade para a variedade dos produtos oferecidos para o consumidor final.

:: Leia também ::

Moda online também é coisa de homem

Segundo ele, existe uma resistência natural do consumidor, que não pode provar a peça. Para contornar essa situação, a marca investe na descrição do produto, em fotos, guia de medidas e indica combinações, o que tem gerado um tíquete médio acima de R$ 400. O site vende cerca de 120 produtos e cresce com a oferta de acessórios.

Além desse desafio, outro obstáculo foi lançar uma marca desconhecida apenas na internet. “Foi muito boca a boca de amigos e investidores para espalhar o negócio. Também investimos em canais de mídia digital e estamos em fase de teste de banners e campanhas no Google. Estamos colocando um pouco de dinheiro em cada canal”, conta Paulino, que tem Denis Strum como sócio e recebeu a ajuda de 12 investidores para lançar a marca. 

Tudo o que sabemos sobre:
modaonlinee-commerceestadão pme

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.