Rafael Bonalda /Fiore Sports/Divulgação
Rafael Bonalda /Fiore Sports/Divulgação

Marca cinquentona faz sucesso com ‘alta costura’ para esportes aquáticos

Fundada por campeão de natação e saltos ornamentais, empresa se especializou em nicho que não é atendido por grandes marcas do mercado

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de agosto de 2017 | 10h59

A paixão por esportes explica a longevidade da Fiore Sports, empresa especializada na produção e no comércio de artigos para a prática de natação, hidroginástica e atividades aquáticas. Fundada há quase 50 anos por Oswaldo Lopes Fiore, campeão de natação e saltos ornamentais, o negócio tem conseguido se manter relevante e atuante no mercado dominado por grandes players.

 A fórmula do sucesso: apostar em qualidade para um nicho que nem sempre recebe atenção das grandes marcas. “Passamos por diversas fases e conseguimos enxergar uma fatia de mercado pouco explorado pelas grandes marcas”, afirma André Fiore, presidente da empresa familiar.

Ao perceber que as grandes marcas tinham pouco interesse em atender um mercado menor e que as pequenas empresas não conseguiam imprimir a mesma qualidade no fornecimento de produtos para o segmento, a empresa conseguiu se estabelecer no fornecimento do que chama “alta costura”  -- a fabricação de peças sob encomenda para clubes e empresas interessadas. Está funcionando: hoje, 95% do faturamento da Fiore vem justamente dessa demanda. 

 “Conseguimos enfrentar as turbulências econômicas dos últimos anos e nos estabelecer no mercado. Assim, fugimos da concorrência e nos tornamos cada vez mais especializados nesse segmento”, diz André.

A segmentação implantada, de acordo com o presidente da empresa, foi fundamental para a evolução do negócio e, também, seu posicionamento. “É mais difícil atender um nicho, mas também pode ser muito bom. Fomos crescendo e ganhando mercado em algo que ninguém olhava com atenção”, diz.

Focados na alta costura, a empresa investe na fabricação de qualidade. “Estamos muito alinhados com o que os clubes querem. Vamos a feiras, pesquisamos materiais, estamos nesse mercado porque também faz parte das nossas vidas. Vivemos os esportes aquáticos dentro e fora da empresa”, conta o presidente.

O ponto mais sensível de atuar em um mercado específico é o da fabricação dos produtos. De acordo com André, são produtos mais artesanais, que exigem uma mão de obra qualificada e, portanto, mais cara de manter. Porém, é justamente esse cuidado que faz da empresa uma cinquentona ativa. “Por sermos uma empresa familiar, existe aquela coisa mais paternal, de incluir os colaboradores, de formar. O custo disso é alto”, pondera. “Também temos de investir em tecnologia e inovação. Hoje, procuramos os melhores materiais. E a gente faz isso com o cuidado de quem é praticante também. praticante fiel de natação.

Tudo o que sabemos sobre:
Empresa

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.