Andre Lessa/AE
Andre Lessa/AE

Mais da metade dos empresários registra faturamento maior em 2011

Mesmo assim, 41% dos empresários afirmam que a crise internacional teve impacto nos resultados de suas empresas

Wladimir D'Andrade, agência estado,

11 de janeiro de 2012 | 11h50

Pesquisa da Serasa Experian divulgada hoje (11) mostra que para 60% dos empresários brasileiros o faturamento em 2011 foi melhor que em 2010. Já para 22%, o resultado foi igual e para 18%, inferior. Entre os executivos que responderam à Pesquisa de Expectativa Empresarial que o faturamento aumentou em 2011, a maior parcela veio de grandes empresas (66%), enquanto nas médias o patamar ficou em 63% e nas pequenas, em 59%.

De acordo com a pesquisa, 62% dos empresários do setor de serviços notaram crescimento do faturamento em 2011 ante o ano anterior. No comércio, foram 58% e na indústria, 50%. Além disso, a Região Norte registrou a maior parcela de empresários que teve seu faturamento em 2011 superior ao de 2010 (74%), seguida por Nordeste (70%), Sudeste (59%), Centro-Oeste (58%) e Sul (49%).

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A crise econômica internacional teve impacto no resultado de 2011 para 41% dos entrevistados pela Serasa Experian, sendo que esse abalo foi sentido por 43% dos executivos das grandes companhias, 41% das médias e 40% das pequenas empresas. Segundo o assessor econômico da entidade, Carlos Henrique de Almeida, o empresário espera influência menor da crise neste ano. "Para 2012 os empresários acreditam que haverá impacto, mas em menor nível do que ano passado porque eles estão olhando o mercado interno", afirmou.

O maior impacto da crise foi sentido na indústria, setor em que 54% dos empresários notaram danos causados pela crise, contra 50% no comércio, 40% nas instituições financeiras e 35% nos serviços. "O desempenho do setor de serviços é decorrente da  melhoria da situação do consumidor, que quer acesso à TV a cabo e um serviço melhor de telefonia", explicou Almeida, para quem o setor de serviços é o que melhor tira proveito do fortalecimento do mercado interno brasileiro.

Expectativa

A pesquisa divulgada nesta quarta-feira (11) mostra ainda que 65% dos executivos brasileiros vão rever a previsão de faturamento de suas empresas no primeiro trimestre deste ano, sendo que 82% farão essa revisão para cima e 18%, para baixo. Os mais otimistas são os pequenos empresários: 82% deles vão rever seu faturamento para cima. Os médios e grandes empresários estão um pouco mais cautelosos, já que 75% e 64%, respectivamente, farão essa revisão para cima no primeiro trimestre do ano.

O setor de serviços abriga o maior porcentual de empresários que irão rever para cima a previsão de faturamento nos três primeiros meses de 2012 (84%), enquanto no comércio a parcela corresponde a 81% e na indústria, 68%. "A indústria é o setor que mostra expectativa mais baixa porque ainda enfrenta problemas de câmbio", afirmou Almeida.

Ainda de acordo com a pesquisa, 26% dos entrevistados pretendem ampliar o quadro de funcionários, ante 30% verificado no trimestre anterior. "Para o primeiro trimestre do ano é normal que haja um volume menor de otimistas em relação ao último trimestre do ano anterior, que envolve a contratação de funcionários temporários por conta da sazonalidade", disse o economista.

Os executivos das empresas médias são os que mais apostam em contratações no primeiro trimestre (30%), enquanto nas pequenas esse porcentual é de 26% e nas grandes, 21%. Novamente, o setor de serviços é o mais otimista (27%), acompanhado de perto por  indústria (26%), comércio (25%) e instituições financeiras (23%). A pesquisa ouviu 1.015 executivos em todo o País entre os dias 1 e 7 de dezembro de 2011.

Tudo o que sabemos sobre:
Serasaempresáriosfaturamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.