Reprodução
Reprodução

Luminária dobrável que cabe na mochila busca dinheiro em site de financiamento coletivo

A novidade é mais um projeto de uma agência inglesa que já criou outros itens diferentes, como o 'travesseiro avestruz'

Estadão PME,

27 de maio de 2014 | 13h42

Empresa do Reino unido busca por meio de campanha em site de financiamento coletivo 50 mil libras esterlinas, algo perto de R$ 188 mil, para avançar em um negócio que oferece um dispositivo de iluminação portátil para carregar na bolsa. Até agora, o valor arrecadado foi em torno de 18 mil libras, equivalente a R$ 67,7 mil.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

A empresa Studio Banana Things, de Londres, desenvolveu o Kangaroo Light, que brilha somente quando for necessário para achar algum pertence rapidamente em um ambiente escuro. O mais legal é que o produto promete certa interatividade, pois pode acender em uma variedade de formas. O material é flexível e permite que o usuário dobre e ajuste a 'lâmpada' de acordo com sua criatividade e necessidade.

Os empreendedores afirmam que seu objetivo principal com essa novidade é entregar um item funcional, útil e fácil de usar e, ao mesmo tempo, algo que possa divertir as pessoas.

Esse aparelho possui 24 luzes LED internos que emitem um brilho suave de um lado. Vem com uma bateria de íons de lítio que promete durabilidade de duas horas e meia, e pode ser recarregada via porta USB.

Caso a campanha alcance o resultado esperado, o projeto prevê que o início da produção seja em julho e a entrega do Kangaroo Light comece em outubro.

Essa não é a primeira vez que a empresa usa o financiamento para desenvolver um negócio a partir de uma invenção. Outros produtos já foram apresentados e produzidos de forma bem sucedida.

:: Leia abaixo o que o Estadão PME já publicou ::

Travesseiro-avestruz ganha versão light para usuário tirar um cochilo no metrô ou ônibus

Empresa cria travesseiro que envolve a cabeça e promete ajudar usuário a tirar uma soneca

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.