Reprodução
Reprodução

Loja de malas perdidas em aeroportos recebe 1 milhão de visitantes por ano

Hoje um sucesso nos EUA, negócio começou em 1970 com um carro emprestado e investimento de US$ 300

Estadão PME,

26 de novembro de 2014 | 09h13

Em 1970, Doyle Owens foi para a cidade de Washington (DC), nos Estados Unidos, com uma picape emprestada e US$ 300 para buscar as mercadorias que seriam vendidas em seu primeiro negócio na área do varejo.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

O episódio, comum a outros tantos no universo do empreendedorismo, poderia ter passado sem destaque pela história não fosse a ideia inovadora por trás da jornada.

A mercadoria, no caso, eram artigos de achados e perdidos de aeroportos dos EUA. Owen percebeu que uma parte das bagagens perdidas não eram buscadas por seus donos e passou a comprá-las para revenda.

Um negócio que começou modesto, dirigido em conjunto com a esposa e seus dois filhos, virou em 1995 o Centro de Bagagens Perdidas na cidade de Scottsboro, Alabama.

De acordo com o The New York Times, o Unclaimed Baggage Center (UBC), como é conhecido em inglês, é uma espécie de loja de departamento com 140 funcionários que vende artigos como joias, roupas, equipamentos eletrônicos e outros produtos cuja origem são as malas esquecidas por turistas desprevenidos.

Com o sucesso da loja, a cidade de Scottsboro passou a ser chamada de "a terra da bagagem perdida". Além de centro comercial regional, a loja também é conhecida como um importante ponto turístico do estado, recebendo cerca de mais de um milhão de turistas de 40 países diferentes por ano.

As malas extraviadas que chegam ao centro demandam um operação complexa. A carga chega por caminhões e são separadas em categorias e precificadas. As roupas são lavadas a seco, as joias são restauradas e os equipamentos eletrônicos, por exemplo, são testados.

Parte do que não é aprovado neste processo de triagem e que não é interessante para a loja vender é jogado fora ou doado para pessoas carente através de um programa social mantido pela empresa.

:::Confira 5 curiosidades sobre a loja::::

OS TESOUROS

Todos os dias, por volta das 14h, a loja permite que um cliente abra uma mala recém-chegada para descobrir o que esqueceram dentro dela. A empresa se refere aos itens como "tesouros".

AS BIZARRICES

Entre as coisas mais estranhas encontradas pela loja nas bagagens estão motores de carros, chifres de alces e partes de armaduras. Estes itens ficam expostos em um museu que funciona dentro do UBC.

AS CINZAS

A loja já chegou a encontrar cinzas de pessoas cremadas em potes de vidro nas bagagens perdidas.

OS ANIMAIS

Foram encontrados também artigos inusitados como tatus e rãs embaladas a vácuo junto com queijos e outros alimentos.

O IMPROVÁVEL

Em certa ocasião, um homem que visitava a loja comprou as botas de esqui que sua esposa havia perdido dois anos antes. Ao vê-las pela primeira vez, as achou familiares e então notou que seu nome ainda estava escrito na parte interna de um dos calçados. 

Tudo o que sabemos sobre:
EmpreendedorismoEstadão PME

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.