Juros de empréstimos estão mais altos para o empresário, aponta Anefac

Custo do dinheiro aumentou em junho na comparação com o mesmo mês de 2010

daniel fernandes, estadão pme,

12 de julho de 2011 | 10h07

Dados divulgados hoje pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac) mostram que os empresários pagam mais caro hoje por empréstimos do que um ano atrás. Se em junho deste ano o empreendedor paga em média por ano juros de 59,37%, pagava 57,54% no mesmo mês do ano passado.

A pesquisa analisa os juros praticados pelas instituições financeiras em três linhas diferentes e, ao mesmo tempo, muito utilizadas por pequenos e médios empresários. São elas: capital de giro, desconto de duplicatas, conta garantida (espécie de cheque especial para pessoa jurídica).

Ao analisar separadamente o comportamento dos empréstimos, a Anefac constatou que no período de 12 meses - entre junho deste ano em comparação com 2010 - houve aumento nos juros da conta garantida. Eles saltaram de 5,16% ao mês para 5,70% ao mês. Comportamento inverso ao empréstimo por meio do capital de giro (juros caíram de 3,21% para 3,04%) e do desconto de duplicatas (queda de 3,22% ao mês para 3,14% ao mês).

A Anefac é taxativa em relação aos próximos meses. Para a entidade, os juros devem subir na esteira de prováveis altas da taxa básica de juros da economia, a Selic, hoje em 12,25% ao ano.

 No caso das linhas de crédito para a pessoa física, a entidade dos executivos de finanças observou queda na média das taxas de juros analisadas entre junho deste ano e o mesmo mês de 2010. Ao ano, os consumidores pagam juros de 120,22% em 2011 enquanto pagavam 122,71% no ano passado. No caso das pessoas físicas, as taxas analisadas são: juros do comércio, do cartão de crédito, cheque especial, CDC dos bancos, empréstimo pessoal dos bancos e financeiras.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.