Divulgação
Divulgação

Jean Luc Senac, da Saúde Service: "empreender para mim é enxergar soluções"

Jean Luc Senac veio ao País a trabalho. Mas viu muitas oportunidades de negócios por aqui, decidiu ficar e abrir sua própria empresa

Cris Olivette, Oportunidades,

24 de dezembro de 2012 | 11h47

 O francês Jean Luc Senac é empresário no Brasil desde 2001. Ele conta que, ao concluir a faculdade de engenharia de sistemas, foi trabalhar na filial de uma empresa francesa instalada na Espanha, só para escapar do serviço militar. Ele tinha 24 anos e não imaginava que essa opção definiria o rumo de sua vida.

“Fui trabalhar na Valeo, que produz peças automotivas. Mas, assim que as montadoras francesas decidiram instalar fábricas no Brasil, seus fornecedores acompanharam a iniciativa e meu chefe foi designado para vir montar uma fábrica no Brasil.” Ele conta que veio junto para ajudar a procurar um terreno e acompanhar a construção da fábrica em Campinas.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Três anos depois, quando a empresa quis remanejá-lo para outro país, Senac preferiu abrir mão do emprego e fixar residência definitivamente no Brasil. “Gostei muito daqui, das oportunidades que o País oferece e também das pessoas.”

Na época, ele já tinha ideias para criar negócios e estava em contato com pessoas empreendedoras. “Juntamos nossas competências e montamos a primeira empresa. A Saúde Service foi criada para oferecer aos dentistas e médicos uma outra forma de aceitar pagamentos com cartão de crédito e débito sem usar a maquina de cobrança.”

Segundo Senac, o sistema funciona através de login e senha, no qual é digitado o número do cartão de crédito do cliente. “Além de não pagar o aluguel da maquininha, os médicos obtêm taxas menores porque negociamos no atacado e repassamos a redução do custo para o varejo.” O serviço conta atualmente com 3.500 clientes ativos que movimentam R$ 150 milhões por ano.

Senac conta que está sempre conversando com as pessoas, procurando saber sobre os problemas que enfrentam para enxergar oportunidades de negócios. “Sempre fui curioso e isso ajuda. Observo quais são as tendências para aplicá-las aqui.”

Foi assim que ele percebeu uma brecha para criar um novo negócio utilizando o conceito de token, que já proporcionava grande segurança nas transações do internet banking. “Notei que o sistema poderia ser adaptado para reduzir os riscos nas compra virtuais e criei a empresa e a ferramenta Evolucard.”

O empresário afirma que as empresas virtuais, que adotam o token, enviam um código ao celular do cliente para que ele possa concluir a compra.

“O Evolucard foi lançado há três meses e já está sendo usado por 50 lojas virtuais. Também estamos prestes a implantar o serviço dentro de sites maiores.” Sua expectativa é de que em 2013 o sistema seja adotado por 1.500 estabelecimentos.

Senac afirma que no momento está com outros negócios em fase piloto. “Empreender é ficar de olhos abertos e tentar enxergar soluções onde muitas pessoas só veem problemas. Achar soluções é bom para todos.”

Para o empresário, não existe receita nem milagre para um negócio ser bem sucedido. “Uma das coisas mais importantes é testar suas ideias. Muitas vezes não é o plano original que vai dar certo. Por isso, é importante ficar de olhos abertos e ir ajustando a empresa conforme a demanda do mercado.”

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.