Paleta de iogurte com frutas vermelhas da Los Paleteros
Paleta de iogurte com frutas vermelhas da Los Paleteros

Inverno será um grande teste para as paleterias

Segundo consultor, deve ocorrer uma seleção natural dos negócios; empresas traçam estratégias

Gisele Tamamar, Estadão PME,

16 de abril de 2015 | 07h03

A combinação de uma situação econômica complicada, a baixa confiança do consumidor que reflete no comportamento de compra e as temperaturas mais baixas devem fazer do inverno um grande teste para as paleterias. A opinião é do especialista em food service e fundador da Food Consulting, Sergio Molinari. E as empresas traçam estratégias para enfrentar o período.

::: Saiba tudo sobre :::

Mercado de franquias

O futuro das startups

Grandes empresários

Minha história

O modelo de negócio deve passar por um verdadeiro teste agravado por dois fatores. O primeiro é o inverno, que marca uma redução importante do consumo de sorvete no Brasil. O segundo é a própria situação econômica. "A baixa confiança do consumidor reflete no seu comportamento de compra", diz Molinari.

Segundo Molinari, a paleta não é um produto de baixo valor, considerando que é um sorvete e comparando com outras alternativas. "A conjugação do inverno com a situação econômica e o humor do mercado tendem a fazer com que o inverno seja um teste para o mercado. A expectativa é que a redução de concorrentes e de pontos de venda comece a se acentuar nesse inverno", completa.

Estratégias. A maior marca do segmento, a Los Paleteros, anunciou esta semana um pacote de ações. Uma delas foi o lançamento de um novo modelo de franquias, um carrinho para ser operado em shoppings, que exige investimento inicial de R$ 140 mil, ante os R$ 435 mil para abrir uma loja e os R$ 290 mil para o quiosque. Atualmente, a rede tem 84 unidades e projeta mais 75 pontos em 2015, sendo 35 do novo modelo.

A Los Paleteros também inaugurou um laboratório para o desenvolvimento de novas paletas, na unidade de Moema. Os clientes poderão ver o processo por meio de vitrines, que só serão fechadas em caso de receitas confidenciais. A empresa ainda anunciou dois novos sabores. O primeiro é o iogurte com frutas vermelhas, resultado da parceria com a Perfetti Van Melle, da bala Fruittella Grego. O outro sabor é o Crunchy Cream, feito a base de nata com baunilha com pedaços de biscoito de chocolate, resultado de uma parceria com o Rock in Rio.

Novos produtos. Criada em março de 2014, a Me Gusta, localizada na Rua Augusta, vai enfrentar seu segundo inverno. De acordo com o sócio Gabriel Simões Jorge Fernandes, no ano passado, o produto ainda estava em ascensão e as pessoas estavam curiosas para experimentar um produto que ia se tornar a sensação do verão. "Nesse inverno o produto não é mais novidade", afirma Fernandes, que ressalta que a empresa não é uma paleteria, mas que trabalha com picolés.

Para enfrentar o período, Fernandes investe no desenvolvimento de novos produtos focados no inverno (que ele prefere não revelar por enquanto), além de se preocupar em manter o padrão de qualidade. A Me Gusta segue com a loja física e com a participação em feiras.

Cenário. Molinari avalia as paleterias como parte de um processo de diversificação e sofisticação do consumo de alimentos no Brasil de forma geral. Segundo ele, quase todo tipo de alimento, se comparar os mercados de dez, cinco anos e hoje, passou por transformações e ganhou novidades, conceitos e variações. "O próprio tempo valida quais modelos se perpetuam mais e quais não se confirmam", diz.

O que normalmente acontece é que os novos conceitos têm um determinada curva de maturidade, de um 'boom' nos primeiros meses e, em seguida, um processo natural de acomodação. Diante desse cenário, o consultor destaca que as paleterias são a bola da vez na diversificação no consumo no mercado de sorvetes e deve passar por uma acomodação. "É esperado que passada a febre da largada ocorra um processo de seleção natural das paleterias".

O consultor acredita que o modelo de negócio não deve morrer. Isso porque o produto se adequa ao mercado brasileiro, mas devem sobreviver as empresas que abastecem adequadamente os pontos de venda, quem trabalha com preços mais adequados e compatíveis com a qualidade e vendem produtos que fazem sentido.

Tudo o que sabemos sobre:
paletasestadão pmemoda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.