Intenção de consumo das famílias sobe 2,5% em agosto

Apesar da alta, os resultados indicam uma expansão mais moderada dos gastos em relação a 2010

Sabrina Valle, Agência Estado,

18 de agosto de 2011 | 13h35

A intenção de consumo das famílias brasileiras voltou a crescer em agosto, com alta de 2,5% em relação a julho, e de 1,9% na comparação com o mesmo período de 2010. É o que mostrou nesta quinta-feira, 18, a pesquisa nacional de Intenção de Consumo das Famílias (ICF), da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

De acordo com a entidade, as condições favoráveis do mercado de trabalho mais uma vez contribuíram significativamente para a elevação do índice. No entanto, mesmo com a alta, os resultados dos componentes diretamente ligados ao consumo ainda indicam uma expansão mais moderada dos gastos das famílias brasileiras em relação ao ano passado.

Neste cenário, a previsão da Divisão Econômica da CNC é de que o volume de vendas do varejo encerre 2011 com crescimento em torno de 6,0%.

Entre os motivos para a alta do índice estão condições de oferta de crédito, mesmo após as medidas restritivas do Banco Central (BC). A confiança das famílias de mais baixa renda subiu 1,8% na comparação anual. As regiões nas quais a confiança é maior são as do Centro-Oeste (2,3%) e Sudeste (1,5%).

Tudo o que sabemos sobre:
ConsumoEconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.