Intenção de consumo das famílias paulistanas cresce em julho

Inflação e emprego foram os principais responsáveis pelo resultado, segundo a Fecomercio

Estadão PME,

28 de julho de 2011 | 11h36

A intenção de consumo das famílias que moram no município de São Paulo registrou alta de 1% em julho em relação ao mês anterior.  Segundo o indicador apurado Fecomercio, a variação positiva demonstra uma reversão  da trajetória negativa da intenção de consumo. Em relação a julho de 2010, o ICF apresenta aumento de 1,9% ao atingir 138,9 pontos em uma escala que varia de 0 a 200 pontos e demonstra otimismo quando acima dos 100 pontos.

O arrefecimento da inflação influenciou o ânimo das famílias paulistanas positivamente. Também foram motivos para a recuperação da intenção de consumo o aumento efetivo da renda média e o baixo nível de desemprego, alavancados após a eliminação de uma eventual perda do poder de compra devido ao processo inflacionário. A variação positiva também impulsionou a Renda Atual que cresceu 1,2% e atingiu a marca de 154,5 pontos. O item foi influenciado pela menor elevação do preço dos alimentos.

O Nível de Consumo Atual apresentou alta de 1,7% com 101,1 pontos e a Perspectiva de Consumo subiu 1,8% e alcançou 138,6 pontos, isso demonstra que os itens relacionados ao consumo também registraram elevação em julho. O primeiro voltou ao patamar de satisfação, acima dos 100 pontos, após permanecer dois meses no nível de indiferença. O resultado desse item demonstra maior propensão das famílias paulistanas a gastar mais do que no mesmo período do ano passado.

Tudo o que sabemos sobre:
ConsumoInflaçãoDesemprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.