Daniel Teixeira/AE
Daniel Teixeira/AE

Intenção de consumo cresce 0,5% em dezembro

Calculado pela Fecomercio-SP, o indicador Intenção de Consumo das Famílias (ICF) saltou de 138,3 pontos em novembro para 139 pontos neste mês

Francisco Carlos de Assis, Agência Estado,

29 de dezembro de 2011 | 15h14

A injeção de recursos na economia pelo pagamento do 13º salário e a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) elevaram em 0,5% a intenção de consumo das famílias em dezembro comparativamente a novembro. É o que mostra o indicador Intenção de Consumo das Famílias (ICF) calculado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP). O ICF atingiu 139 pontos, de 138,3 em novembro, em um escala de 0 a 200 pontos. O indicador demonstra otimismo quando sua graduação supera os 100 pontos.

Até dezembro, de acordo com estimativas do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), deve ter entrado na economia brasileira pelo pagamento do 13º salário um valor adicional equivalente a R$ 118 bilhões. O montante, por si só, já seria um forte apelo ao consumo. Mas o governo, com o objetivo de amenizar os efeitos da crise internacional sobre a atividade da indústria de bens duráveis, reduziu o IPI sobre os produtos da linha branca, potencializando ainda mais o apetite para o consumo.

Entre os itens avaliados pela Fecomercio-SP no cálculo do ICF, o que apresentou maior elevação foi o Nível de Consumo Atual, com expansão de 2,8%, ao atingir 101,1 pontos ante os 98,4 pontos apurados em novembro. A segunda maior elevação no período ficou por conta da categoria Momento para Duráveis, com alta de 2,6%, passando dos 127 pontos para os 130,3 pontos.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Outro item que incrementou o resultado da ICF,  de acordo com a entidade, com variação de 1,9%, foi Acesso a Crédito, com 162,8 pontos - a maior pontuação entre as categorias analisadas. A expansão se deve, sobretudo, ao volume de crédito para pessoa física que, de janeiro a outubro deste ano, cresceu 19,5%, segundo o Banco Central.

Na contramão, quatro itens apresentaram reduções em dezembro, segundo o levantamento da Fecomercio-SP.  Foram eles: Emprego Atual (147,5 pontos) e Perspectiva Profissional (145,4 pontos), com quedas de 0,9% e 0,3%, pela ordem. A Renda Atual apresentou variação negativa de 0,7% em relação a novembro ao atingir 151,5 pontos. A outra retração foi registrada em Perspectiva de Consumo (0,8%), ao chegar a 134,3 pontos. Segundo a Assessoria Técnica da Fecomercio-SP, não há preocupação pela redução desses itens, uma vez que as variações não foram significativas. Além disso, a flutuação pode ser considerada um ajuste natural de satisfação frente ao forte crescimento registrado em novembro comparado a outubro.

Tudo o que sabemos sobre:
ConsumoEconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.