Monica Bento/AE
Monica Bento/AE

Inflação medida pelo IPC-S desacelera para 0,26%

O IPC-S acumula altas de 4,96% no ano e de 6,78% nos últimos 12 meses

Sabrina Valle, Agência Estado,

01 de novembro de 2011 | 11h33

 A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) desacelerou na última semana de outubro. É o que informou hoje a Fundação Getúlio Vargas (FGV), ao anunciar o avanço de 0,26% para o indicador até a quadrissemana encerrada em 31 de outubro.

O resultado ficou abaixo do IPC-S de setembro, referente à quadrissemana finalizada em 30 de setembro, quando subiu 0,50%. Além disso, a taxa ficou 0,05 ponto porcentual abaixo da registrada na última apuração, encerrada em 22 de outubro.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

Por problemas técnicos, a divulgação do IPC-S foi feita hoje com quase uma hora de atraso. O resultado fechado de outubro ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado, que apostavam uma elevação entre 0,19% e 0,30%, sendo levemente superior à mediana das expectativas, de 0,25%.

Com o resultado, o IPC-S acumula altas de 4,96% no ano e de 6,78% nos últimos 12 meses. Nesta apuração, seis das sete classes de despesa componentes do índice apresentaram decréscimo em suas taxas de variação de preços.

Grupos

Altas mais discretas para custos de Habitação ajudaram o IPC-S a desacelerar a alta na última quadrissemana de outubro. Na apuração imediatamente anterior, em 22 de outubro, o IPC-S ficara em +0,31%. Seis das sete classes de despesa componentes do índice apresentaram decréscimo em suas taxas de variação de preços, no período.

A inflação para Habitação passou de 0,64% na quadrissemana encerrada em 22 de outubro para 0,53% na apuração divulgada hoje. Nesta classe de despesa, os itens que mais contribuíram para este movimento foram: taxa de água e esgoto residencial (1,95% para 1,04%) e gás de bujão (1,92% para 1,33%), na mesma base de comparação.

Os grupos Transportes (-0,02% para -0,10%), Alimentação (0,03% para 0,00%), Despesas Diversas (0,26% para 0,15%), Vestuário (0,81% para 0,76%) e Saúde e Cuidados Pessoais (0,41% para 0,39%) também apresentaram inflação mais fraca ou deflação mais intensa, na passagem da terceira para a quarta quadrissemana do mês passado.

Em contrapartida, o grupo Educação, Leitura e Recreação apresentou aceleração em sua taxa de variação, passando de 0,27% na quadrissemana encerrada em 22 de outubro para 0,30% nesta apuração. Nesta classe de despesa, o destaque partiu do item show musical (-1,00% para 0,02%).

A FGV destacou as variações de preços em álcool combustível (-0,26% para -1,14%), laticínios (0,98% para 0,22%), alimento para animais domésticos (2,22% para 1,10%), roupas (1,08% para 0,98%) e artigos de higiene e cuidado pessoal (0,07% para -0,05%).

::: LEIA TAMBÉM :::

:: Mercado financeiro prevê inflação maior em 2011 e 2012 ::

:: Inflação do idoso perde força no terceiro trimestre, aponta FGV ::

:: BC prevê crescimento menor e mais inflação em 2011 ::

:: Mercado eleva projeção de inflação ::

Tudo o que sabemos sobre:
InflaçãoEconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.