Mônica Bento/AE
Mônica Bento/AE

Inflação da baixa renda acelera para 0,5% em novembro

O grupo Vestuários foi um dos ítens que mais subiu, 1,27%

Alessandra Saraiva, Agência Estado,

12 de dezembro de 2011 | 11h48

 A inflação percebida pelas famílias de baixa renda acelerou fortemente em novembro. É o que mostra o Índice de Preços ao Consumidor - Classe 1 (IPC-C1), apurado entre as famílias com renda mensal entre 1 e 2,5 salários mínimos e que mostrou alta de 0,50% em novembro, após subir 0,11% em outubro. Com este resultado, o índice acumula altas de 4,94% no ano e de 5,84% em 12 meses.

A taxa do IPC-C1 em novembro ficou abaixo da variação média de preços entre famílias com renda mais elevada, de até 33 salários mínimos mensais, medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Brasil (IPC-BR) e que subiu 0,53% no mesmo mês. O IPC-C1 também foi menor do que as taxas acumuladas do IPC-BR para o ano (5,52%) e para 12 meses (6,29%).

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Quatro das sete classes de despesa componentes do índice apresentaram acréscimos em suas taxas de variação de preços de outubro para novembro. É o caso de Alimentação (de -0,16% para 0,63%), Saúde e Cuidados Pessoais (de -0,01% 0,49%), Vestuário (de 0,74% para 1,27%) e Despesas Diversas (de 0,01% para 0,37%).

Em contrapartida, houve desaceleração de preços em Educação, Leitura e Recreação (de 0,44% para 0,28%) e Habitação (de 0,45% para 0,43%). Entre os produtos pesquisados, as mais expressivas elevações de preços foram detectadas em tomate (16,71%), mamão da Amazônia - papaia (22,48%) e tarifa de eletricidade residencial (1,25%). Já as mais expressivas quedas foram registradas em leite tipo longa vida (-4,92%), alho (-11,66%) e limão (-7,57%).

Tudo o que sabemos sobre:
InflaçãoEconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.