Reprodução
Reprodução

Startup indiana é a única a se inscrever em concurso do Google para pisar na Lua

Concurso do Google para explorar território lunar vai dar prêmio de US$ 20 milhões para iniciativa vencedora

Estadão PME

14 de novembro de 2016 | 06h00

Duas voltas completas na órbita da Terra são o impulso necessário para levar uma pequena aeronave até a Lua. Porém, o desafio de desenvolver um dispositivo capaz de fazer esse trajeto com sucesso atraiu poucas startups ao redor do mundo. Na verdade, apenas uma: a indiana TeamIndus, a única a se inscrever para o concurso lançado pelo Google, o Google Lunar X-Prize.

A corrida aeroespacial desenvolvida pelo Google pretende lançar um pequeno foguete para a Lua até o fim do ano que vem. O principal requisito do concurso é que o dispositivo seja desenvolvido com 90% de capital privado.

O prêmio para o eleito vencedor é de US$ 20 milhões e há mais dois prêmios secundários de US$ 5 milhões. Há três anos, quando o prêmio foi anunciado, a TeamIndus era apenas uma startup baseada na Índia. Atualmente, ela emprega pelo menos 100 colaboradores empenhados na tarefa de explorar a Lua.

Para completar o desafio, a indiana terá que enviar a aeronave até o território lunar, aterrisar, se deslocar por 500 metros e enviar imagens em alta resolução. Só então poderá voltar para a Terra e, caso chegue sem grandes alterações em sua integridade física, terá obtido sucesso. 

O co-fundador da TeamIndus, Rahul NarayanWe, está confiante com o desempenho da empresa na empreitada. "Estamos abrindo prescendentes importantes aqui", comenta. "Será a mesma sensação de ganhar o campeonato mundial de críquete", brinca o empreendedor.

Tudo o que sabemos sobre:
TerraLuaGoogleÍndia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.