Epitácio Pessoa/AE
Epitácio Pessoa/AE

Inadimplência bate recorde em SP. Empresário deve estar preparado para rever plano de negócios

Pequena empresa depende do mercado interno e deve estar atenta a questões relacionadas com o desemprego e inadimplência

ESTADÃO PME,

04 de maio de 2012 | 10h31

 A quantidade de paulistanos com contas atrasadas (inadimplentes) é a maior desde setembro de 2007, aponta levantamento divulgado nesta sexta-feira (dia 4 de maio) pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio).

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

De acordo com os dados, 21,8% dos moradores da capital tem contas em atraso. Esse porcentual equivale a 782,8 mil famílias. Em setembro de 2007, o total de famílias com contas atrasadas era de 23,5%.

Os pequenos negócios ligados ao comércio devem estar atentos a esses números pois a inadimplência pode afetar diretamente a rentabilidade dos seus negócios. Voltada para o mercado consumidor interno, às pequenas empresas precisam sempre considerar o nível de inadimplência em seus planos de negócios - e revisá-lo se for o caso. Além disso, o empreendedor também deve prestar atenção nos níveis de emprego. Quanto maior a quantidade de desempregados, superior será o risco de inadimplência e vendas menores, analisam especialistas.

Segundo a pesquisa, o total de famílias endividadas - e que não terão condições de quitar seus débitos - caiu. Em abril, 50,6% dos paulistanos estavam endividados, o que equivale a 1,81 milhão de famílias. Esse número é 1,6 ponto porcentual inferior ao registrado em março, mas ainda está 2,3 pontos porcentuais acima do observado no mesmo mês do ano anterior.

Tudo o que sabemos sobre:
empreendedorismocomércio

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.