Reprodução
Reprodução

Imerso, fascinado ou evoluído: qual é o seu perfil?

Agência cria perfis para classificar consumidores conforme sua relação com a tecnologia. Sua pequena empresa pensa nisso?

LILIAN CUNHA, NEGÓCIOS,

04 de junho de 2012 | 08h43

Como você lida com a tecnologia? Adora comprar as versões mais novas de smartphones e tablets ou apenas faz uso deles, sem idolatrá-los? Essa relação com equipamentos e meios eletrônicos, segundo Sergio Valente, presidente da DM9DDB, interfere no consumo de produtos, marcas e até da própria propaganda tanto quanto outros fatores, como idade, sexo, classe social, nível educacional e localização geográfica.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

"Não dá mais para fazer pesquisas e olhar para o consumidor só com base nesses dados", diz o publicitário.

Por meio de um estudo que incluiu consumidores de 8 a 60 anos, a agência chegou ao que chama de cinco "perfis digigráficos", ou seja, cinco padrões básicos que resumem como as pessoas se relacionam com a tecnologia.

O primeiro ganhou o nome de imerso. "É o sujeito que não nasceu em um mundo tecnológico, mas foi imerso nele. Sua personalidade, sua identidade foi definida pela relação com a tecnologia", explica Valente.

Há também os 'ferramentados': são os que recorrem à tecnologia para agilizar o dia, mas sem idolatrá-la. Eles não dependem dela - ao contrário dos fascinados. "Esses são os antenados, querem parecer modernos e acreditam que seus aparelhos os rotulam", afirma o publicitário.

Os emparelhados, por sua vez, acreditam que os aparelhos e a tecnologia são uma espécie de extensão de seu corpo. Têm uma relação meio que profissional com a tecnologia. Os avanços tecnológicos os ajudam a pôr em prática seus projetos. Por fim, há os evoluídos: crianças e adolescentes que já nasceram em um universo de telas sensíveis ao toque. Não conhecem um mundo não digital.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.