IGP-10 volta a subir e avança 0,20% em agosto

Até agosto, o índice acumula altas de 3,37% no ano e de 8,31% em 12 meses

Alessandra Saraiva, Agência Estado,

18 de agosto de 2011 | 11h43

Após dois meses em queda, o Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) voltou a subir e avançou 0,20% em agosto, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Em julho, o indicador teve queda de 0,12%. A taxa ficou dentro das previsões dos analistas do mercado financeiro ouvidos pela Agência Estado (de 0,11% a 0,27%) e se posicionou acima da mediana das expectativas (0,18%).

No caso dos três indicadores componentes do IGP-10, o IPA-10 apresentou taxa positiva de 0,26%, após ter queda de 0,21% em julho. O IPC-10, por sua vez, caiu 0,03% em agosto, em comparação com o recuo de 0,13% no mês passado. Já o INCC-10 registrou alta de 0,31% em agosto, após subir 0,48% em julho.

Até agosto, o índice acumula altas de 3,37% no ano e de 8,31% em 12 meses. O período de coleta de preços para o IGP-10 desse mês foi do dia 11 de julho a 10 de agosto.

A deflação chegou ao fim no setor agropecuário atacadista. Os preços dos produtos agropecuários no atacado subiram 0,89% em agosto, em comparação com a queda de 1,01% em julho. Já inflação do setor industrial atacadista desacelerou, e passou de 0,08% para 0,04% de julho para agosto.

Ao detalhar a movimentação de preços por estágios da produção, a FGV informou que os preços dos bens finais subiram 0,49% este mês, em comparação com a alta de 0,06% apurada em julho. Os preços dos bens intermediários no atacado caíram 0,52% em agosto, após subirem 0,25% em julho. Por fim, os preços das matérias-primas brutas no atacado mostraram alta de 1,03% em agosto, contra uma deflação de 1,11% em julho.

Atacado

Até agosto, a inflação no atacado medida pelo IPA-10 acumula altas de 2,64% no ano e de 9,02% em 12 meses, segundo a FGV. O IPA-10 representa 60% do total do IGP-10.

Os preços dos produtos agrícolas no atacado registram altas de 1,79% no ano e de 20,21% em 12 meses. Já os preços dos produtos industriais no atacado mostram aumentos de 2,94% no ano e de 5,52% em 12 meses.

No âmbito do Índice de Preços por Atacado segundo Estágios de Processamento (IPA-EP), que permite visualizar a transmissão de preços ao longo da cadeia produtiva, os preços dos bens finais no atacado já registram aumentos de 1,36% no ano e de 5,79% em 12 meses. Por sua vez, os preços dos bens intermediários acumularam altas de 2,55% e de 4,68% em 12 meses. Por fim, os preços das matérias-primas brutas mostraram elevação de 4,25% no ano e acumulam aumento de 19,65% em 12 meses.

Tudo o que sabemos sobre:
EconomiaInflaçãoIGP-10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.