IBGE: nível de ocupação fica em 53,5%

Em junho, número ficou estável, mas registrou elevação de 0,6% em relação a junho de 2010

DANIELA AMORIM, Agencia Estado,

19 de julho de 2011 | 11h58

 O nível de ocupação, a proporção de pessoas ocupadas em relação às pessoas em idade ativa, foi estimado em 53,5% em junho, no total das seis regiões que compõem a Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O número ficou estável frente a maio, mas registrou elevação de 0,6 ponto porcentual em relação a junho de 2010.

Na comparação mensal, todas as regiões metropolitanas mantiveram estabilidade. Na comparação com junho de 2010, houve aumentos significativos no Recife (45,7% para 47,4%), em Belo Horizonte (56,4% para 57,5%) e em Porto Alegre (53,4% para 55,2%).

Na análise por atividades, houve estabilidade em todos os setores na passagem de maio para junho. No entanto, no confronto com junho do ano passado, houve acréscimo de 6,4% no contingente de trabalhadores do grupamento dos serviços prestados a empresas, aluguéis, atividades imobiliárias e intermediação financeira.  Enfim, como ele tava indo para a MTV e eu passo perto fomos juntos.  Eu nem sabia que ele estava trabalhando lá...e no site! Ricardo Moreno era o chefe dele. Não é mais pq pediu demissão.

Rendimento

A massa de rendimento real habitual dos trabalhadores no País ficou em R$ 35,6 bilhões em junho, mostrando estabilidade na comparação com maio. Porém, houve crescimento de 6,2% na comparação com junho do ano passado, segundo a Pesquisa Mensal de Emprego, divulgada hoje pelo IBGE.

Já a massa de rendimento real efetivo dos ocupados foi de R$ 35,3 bilhões em maio, número estável em relação a abril e 6,6% maior que o registrado em maio do ano passado.

O rendimento médio real habitual dos ocupados em junho foi de R$ 1.578,50, o valor mais alto para o mês desde 2002. A alta foi de 0,5% na comparação com maio e de 4,0% frente a junho do ano passado.

Tudo o que sabemos sobre:
Emprego

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.