Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Hotel cobra US$ 3 mil para cuidar da imagem da noiva nas redes sociais

Serviço se encarrega do 'ao vivo' da cerimônia no Twitter e de encorajar o convidado a compartilhar fotos no Instagram

Estadão PME,

06 de abril de 2014 | 07h51

Dificuldades em uniformizar entre os convidados a hashtag de seu casamento no Instagram? Um hotel nos Estados Unidos promete acabar com esse verdadeiro #pesadelo.

::: Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google + ::

Por módicos US$ 3 mil, o W Hotels diz ser capaz de cuidar da imagem de noivos e noivas nas redes sociais, enquando o casal aproveita a cerimônia no altar e a festa que se segue.

Basicamente, o serviço promete se envolver em cada passo da divulgação do casamento, desde tweets com o 'ao vivo' da cerimômia, até a recepção do uploading de imagens no Instagram e no Vine, encorajando os convidados a usarem hashtag específicas.

"Nós observamos selfies de casais, misturando os dois sobrenomes para criarem hashtags e atualizando seus status de solteiros para casados no altar. É uma evolução do planejamento do casamento", afirma a especialista lyssa Kiefer, em entrevista à Fox News. Lyssa denomina seu negócio como um concierge de casamentos nas redes sociais.

Mas engana-se quem pensa que a W Hotels nada de braçadas nesse mundo novo de comunicação high tech. A empresa deve ter em breve a concorrência da também norte-americana OneWed.com, que oferece assessoria da escolha dos vestidos, à beleza e decoração para noivas.

A proprietária da plataforma, Claire Koerner, diz que o interesse no setor é porque, atualmente, o Instagram é a mais importante plataforma para noivas e noivos durante a cerimônia de casamento.

"A gente vê o crescimento de dois extremos. Existem noivas e noivos que colocam avisos pedindo para os convidados não usarem as redes sociais. Há os que, ao contrário, pedem para usarem tal hashtag ou este aplicativo para tirarem foto e compartilharem", conta Koener.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.