Felipe Rau/AE
Felipe Rau/AE

Hora de fazer os últimos ajustes para as vendas de Natal

Ainda dá tempo de acertar o estoque, estruturar a empresa para vendas a prazo e divulgar promoções

Carolina Dall'Olio, do Estadão PME,

21 de novembro de 2011 | 07h00

Faltam 34 dias para o Natal e a maratona de vendas já começou. Para os lojistas, isso significa que não há mais tempo para mudar o planejamento de forma radical. Mas ainda é possível tomar pequenas medidas que ajudem a empresa a aproveitar ao máximo o pico de vendas neste fim do ano. Confira abaixo: 

Arrume bem a casa

O primeiro passo é garantir que a loja está realmente pronta para atender a demanda de fim de ano. Será que o estoque dará mesmo conta do recado? Há gente suficiente para atender os clientes? “É importante garantir uma boa experiência de consumo mesmo com a loja cheia”, afirma Ricardo Pastore, coordenador do Núcleo de Varejo da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM). “Caso contrário, o cliente não voltará mais na loja.”

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook :: 

Caso as vendas de novembro indiquem que o Natal poderá ser melhor do que o lojista esperava, convém fazer novos pedidos aos fornecedores imediatamente. A mesma regra vale para quem subestimou o tamanho da equipe de vendas. Em ambos os casos, o empresário pode encontrar dificuldades para conseguir o que quer. Porém, se não tomar a decisão agora mesmo, aí sim ficará quase impossível receber mais produtos ou contratar mão de obra a tempo de realizar as vendas.

Prepare-se para  vender (bem) a prazo

Depois de tomar medidas para restringir a concessão de crédito, o governo agora começa a agir em direção oposta. Em outubro, reduziu a taxa básica de juros de 12% para 11,5% ao ano. Neste mês, decidiu manter em 15% o pagamento mínimo da fatura do cartão de crédito – estava previsto que o valor subiria para 20% já em dezembro.

“O crédito, que no Natal de 2010 foi a mola propulsora da economia, também será muito usado pelos consumidores nas compras deste fim de ano”, avisa Marcel Solimeo, economista da Associação Comercial de São Paulo. “Mas os lojistas precisam ter cautela com a inadimplência, já que os consumidores estão mais endividados este ano.”

Por isso, as empresas que ainda não possuem mecanismos detalhados de análise de crédito devem adotá-los com urgência. É preciso analisar cautelosamente o perfil do cliente antes de permitir o pagamento a prazo, sob o risco de comprometer os resultados com vendas que não serão pagas.

Divulgue logo as promoções

Além de criar promoções para atrair os clientes no Natal, os lojistas devem divulgá-las com rapidez. Isso ajuda a garantir a preferência da compra do consumidor e também pode colaborar para que ele gaste mais na sua loja. Quanto mais cedo, maior a chance de o cliente ainda estar com o bolso cheio. Afinal, a temporada de compras está só começando.

A primeira parcela do 13.º salário deve ser feita até o dia 30 de novembro. Portanto, corra. Ao todo, o pagamento do salário deve injetar R$ 118 bilhões na economia brasileira, montante que representa 2,9% do Produto Interno Bruto (PIB), informa estudo do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Aproximadamente 78 milhões de pessoas serão beneficiadas, número 5,4% superior ao verificado em 2010. No ano passado, a estimativa do Dieese era de que R$ 102 bilhões seriam injetados na economia.

 

:::LEIA TAMBÉM:::

::Mercado prevê juro menor no fim de 2012::

::Cinco estratégias que você pode adotar para atrair mais clientes no fim de ano::

::Cinco dicas para planejar 2012::

::Aproveite o 13o salário para vender mais::

::Você está preparado para o Natal?::

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.