Dida Sampaio/AE
Dida Sampaio/AE

Governo libera R$ 500 milhões para financiar pequenas e médias empresas exportadoras

Empresas com faturamento anual de até R$ 90 milhões poderão ter acesso ao dinheiro liberado hoje pelo governo federal

ESTADÃO PME,

03 de abril de 2012 | 11h45

As pequenas e médias empresas brasileiras terão R$ 500 milhões à disposição para financiar suas exportações. A liberação da quantia faz parte do plano de estímulo à indústria brasileira divulgado nesta terça-feira, dia 3 de abril, pelo ministro da Fazenda Guido Mantega.

::: Siga o Estadão PME nas redes sociais :::

:: Twitter ::

:: Facebook ::

:: Google+ ::

O dinheiro será aplicado por meio do Fundo de Fomento à Exportação (FFEX) criado originalmente pelo governo federal em agosto do ano passado por meio do Plano Brasil Maior. Até o anúncio de hoje, não havia dinheiro disponível para o Fundo.

Para tomar dinheiro emprestado por meio do FFEX a empresa deverá comprovar faturamento bruto anual de até R$ 90 milhões.

Outras medidas anunciadas nesta quarta-feira pretendem ajudar os pequenos empreendedores. Uma delas é a redução das taxas de juros para o programa Procaminhoneiro. Os juros, segundo o Ministério da Fazenda, caem de 7% ao ano para 5,5% ao ano.

Caminhoneiros, empresários individuais e microempresas podem recorrer a essa linha de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES) para a compra de caminhões, chassis, reboques, carretas e carrocerias novos e usados.

Também houve redução de juros para a aquisição de bens de capital. A taxa de juros da linha que existe para pequenos empreendimentos, também oferecida pelo BNDES, cai de 6,5% ao ano para 5,5% ao ano.

Outra linha de crédito ofertada pelo BNDES para pequenos e médios empreenderores sofreu redução de juros. O Progeren agora passa a contar com juros entre 9% e 11,5% ao ano - antes o dinheiro custava entre 10,5% e 13% ao ano. Podem tomar dinheiro emprestado por meio desta linha as micro e pequenas empresas indústrias de transformação e as médias empresas dos setores têxteis, de informática, produtoras de peças e acessórios automotivos, entre outras.

O Progeren tem linhas de crédito voltadas para capital de giro e foi ampliado de R$ 5 bilhões para R$ 15 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.