Governo libera mais R$ 7 bi para pequenas e médias empresas

Medida faz parte do Plano Brasil Maior, anunciado nesta terça-feira em Brasília

ESTADÃO PME,

02 de agosto de 2011 | 11h11

O governo federal anunciou hoje a ampliação do programa administrado pelo BNDES e que confere financiamento, por meio de capital de giro, para micro, pequenas e médias empresas. O orçamento destinado ao BNDES Progeren passa de R$ 3,4 bilhões para R$ 10,4 bilhões. A medida faz parte do Plano Brasil Maior, divulgado hoje pela presidente Dilma Rousseff, e que tem o objetivo de estimular as empresas brasileiras.

De acordo com o anúncio, a linha de financiamento terá taxas de juros entre 10% e 13% ao ano, consideradas baixas para a modalidade. Além disso, o governo ampliou o prazo de financiamento desta linha de 24 meses para 36 meses. O prazo de vigência da linha de crédito, que terminaria em março de 2012, agora foi ampliado para dezembro de 2012.

Médias empresas do setor de autopeças, móveis e artefatos, antes proibidas de acessar essa linha, passam a ter direito de pleitear o crédito a ser oferecido pelo BNDES.

A linha de capital de giro é uma das mais importantes para as micro, pequenas e médias empresas pois destina-se para garantir as operações cotidianas dos empreendedores. Antes de tomar qualquer dinheiro emprestado, no entanto, o empreendedor deve sempre considerar  necessidade real daquele financiamento. É prudente, ainda, o empresário avaliar se terá condições efetivas de arcar com o pagamento do compromisso assumido.

Outras medidas

O Plano Brasil Maior prevê ainda outra novidade importante para os pequenos e médios empreendedores brasileiros. De acordo com dados divulgados nesta terça-feira, o governo criou o Fundo de Financiamento à Exportação de MPME (Micro Pequenas e Médias Empresas).

O fundo, criado pelo Banco do Brasil, terá o objetivo de atender empresas com faturamento de até R$ 60 milhões. O governo federal será o principal cotista do fundo, no entanto, outras instituições financeiras poderão fazer parte do programa.

As medidas anunciadas hoje ainda garantem mais recursos para a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep). Ao todo, segundo estimativas do governo, serão R$ 2 bilhões a serem aplicados na ampliação da carteira de inovação da entidade ainda em 2011. A taxa de acesso a esse dinheiro vai oscilar entre 4% e 5% ao ano.

LEIA TAMBÉM:

Veja a íntegra do Plano Brasil Maior

Momento da economia sugere cautela

Bradesco coloca mais dinheiro para pequenos

Dilma sanciona lei que protege patrimônio de empresário

Sebrae destinará R$ 780 milhões para inovação

HSBC terá R$ 1,5 bilhão para pequenos e médios

Pequenos e médios procuram mais crédito

Sebrae assina acordo para fortalecer MPEs

Exportadores perdem negócios nos Estados Unidos

Governo tenta conter queda do dólar com medidas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.